Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

IMA monitora população da Mosca dos Estábulos no Triângulo Mineiro

postado em 11/09/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Com o intuito de prevenir e evitar possíveis prejuízos causados pela Mosca dos Estábulos (Stomoxys calcitrans), o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), por meio de seu escritório do de Frutal, no Triângulo Mineiro, realiza desde o mês de julho, o monitoramento de propriedades localizadas próximas a usinas de cana de açúcar, locais onde há uma maior proliferação da espécie. O objetivo é monitorar, até o mês de dezembro, 15 propriedades da região (Frutal e Itapagipe).

Plantios localizados próximos a propriedades rurais são inspecionados periodicamente. As possíveis irregularidades observadas nas práticas de manejo serão repassadas aos departamentos técnicos das usinas para evitar que os bovinos sejam alvos da mosca. A ação é feita em parceria com as prestadoras de serviços das próprias empresas.

Sendo assim, o IMA orienta que adotem práticas de manejo que mantenham os canais de irrigação limpos e que reduzam a quantidade de vinhaça (subproduto da cana) despejada na palha. Além disso, é importante que haja a supervisão de vazamentos decorrentes da irrigação, observando principalmente o acúmulo de poças de vinhaça, o que colabora diretamente para a proliferação da mosca.

Já os produtores que exercem atividade pecuária próximo a áreas de produção das usinas devem procurar um escritório do IMA quando notarem um alto índice de moscas na propriedade. Neste caso, os fiscais do Instituto procuram possíveis locais de reprodução na propriedade e verificam se há o excesso de irrigação com vinhaça.

Para o diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto é necessário uma comunicação permanente entre o IMA e os pecuaristas para que haja um controle ativo e eficaz nas propriedades. "Nesta época do ano, que costuma ser mais quente, é preciso redobrar os cuidados e a atenção. São medidas preventivas que visam preservar também, a cadeia produtiva da carne", acrescenta.

O engenheiro agrônomo do IMA de Frutal, Waldemar Mundim Filho informa que há um contato com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária de (Embrapa) de Campo Grande (MT), instituição que está á frente de pesquisas para o controle da mosca. "Qualquer novidade relativa à prevenção e controle biológico será repassada aos produtores", comenta.

Características

De acordo com informações da Embrapa, a Mosca dos Estábulos, como é popularmente conhecida, ataca preferencialmente equinos e bovinos. Eventualmente, ataca outros animais domésticos e o homem. Ocorre em diversos países do mundo, principalmente em áreas ao redor de estábulos e confinamentos. Os animais sofrem com as picadas, ficam inquietos e se alimentam menos - o que consequentemente, causa uma queda na produção de leite. O período de vida da mosca dura de 15 a 30 dias.

Ainda segundo a Embrapa, no ano de 2009, foram verificados surtos com infestação da mosca em usinas sucroalcooleiras e em fazendas de produção pecuária circunvizinhas de usinas, na região sul de Mato Grosso do Sul. Esse tipo de surto não é um fato novo no Brasil, tendo em vista algumas ocorrências nos estados de Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo.

As informações são da Agência Minas, adaptadas pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade