Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Israel decide contemplar pedido de carne ovina uruguaia

postado em 05/06/2009

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Os Serviços Veterinários de Israel confirmaram aos membros da Direção Geral de Serviços Pecuários do Ministério da Pecuária, Agricultura e Pesca (MGAP) do Uruguai que decidiram enviar um técnico para começar a analisar se existe ou não um risco frente à entrada de carne ovina uruguaia com osso.

A notícia surgiu no marco dos contatos bilaterais que a delegação uruguaia, encabeçada por Francisco Muzio, diretor geral dos Serviços Pecuários, manteve na 77ª Assembleia Geral da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), ocorrida na semana passada em Paris.

Segundo confirmou Muzio, ainda não se tem uma data para a chegada do especialista israelense, mas a confirmação do interesse pelo produto "é um grande avanço".

As negociações para obter mais mercados para ovinos com osso, um gargalo que a comercialização enfrenta hoje no caso dos frigoríficos uruguaios, não somente se limitou a Israel. Segundo Muzio, também incluíram Estados Unidos, onde terminou a análise de risco, mas ainda não foi publicado no Registro Federal, e a União Europeia (UE).

Dois técnicos uruguaios foram aos EUA para participar na reunião de um comitê especializado, para seguir avançando nas gestões. Enquanto isso, o Uruguai não abandonou as negociações na UE, para onde o país tinha enviado um trabalho técnico demonstrando que a entrada de carne ovina com osso não significava um risco para o velho continente. "Voltaram a repetir para nós que, por uma questão política, não se permite a entrada do produto de um país que vacina contra a doença". Agora, começou uma rodada de negociações com várias nações buscando reverter esse argumento.

A reportagem é do El País Digital, traduzida e adaptada pela equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade