Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Jornal britânico comenta crescimento brasileiro

postado em 12/05/2008

5 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A edição deste sábado do jornal britânico "The Guardian" dedica uma página inteira ao "país do futuro", o Brasil, explicando por que muitos acreditam que finalmente "o gigante adormecido da América do Sul" está acordando.

O diário diz que muitos empresários e políticos brasileiros estão convencidos de que o Brasil está caminhando para um lugar de destaque no cenário internacional graças aos avanços na situação econômica do país.

"Graças em grande parte ao 'boom' mundial das commodities, esta região de plantação de soja (o Mato Grosso) se transformou na vanguarda da marcha do Brasil rumo ao palco mundial", começa dizendo a matéria, assinada pelo repórter Tom Phillips.

Ele lembra que apesar de o Brasil ter sido conhecido como o país do futuro há muito tempo, uma série de crises econômicas e políticas, além de 21 anos de ditadura militar, evitaram com que o país chegasse lá.

"Agora as coisas parecem estar mudando. A moeda brasileira atingiu a maior alta dos últimos nove anos em relação ao dólar, a inflação está sob controle e milhões de brasileiros estão sendo empurrados em direção a uma nova classe média", afirma Phillips.

Ele também lembra que na semana passada, a agência Standard & Poor's revisou para cima o rating concedido ao Brasil, melhorando a classificação geral para grau de investimento.

O texto do "The Guardian" também lembra das recentes descobertas de grandes reservas de petróleo pela Petrobras, que deram o apelido de "xeique Lula" ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva "e indicam a possibilidade de o Brasil se tornar um grande produtor de petróleo em breve".

O repórter encerra a matéria ressaltando que analistas acreditam que uma queda nos preços dos commodities pode acabar com o ritmo acelerado de crescimento do Brasil e outros questionam se os sistemas de infra-estrutura e educação são fortes o suficiente para manter o bom momento econômico.

"Tudo isso não significa que você tem crescimento econômico garantido. O Brasil ainda tem problemas estruturais sérios. Existem algumas armadilhas sérias que comprometem este crescimento: educação, mão-de-obra qualificada, saúde", ressaltou a economista da Fundação Getúlio Vargas, Lia Valls, citada na matéria.

As informações são da BBC Brasil.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Lucas Cardoso de Oliveira

Patos de Minas - Minas Gerais - Prestador de serviço
postado em 12/05/2008

Ninguém segura o Brasil. Chegou a nossa Hora

Deniz Ferreira Ribeiro

Barueri - São Paulo - Produtor Rural
postado em 12/05/2008

Bem se vê que esses pobres ingleses não sabem o que acontece no mundo. Jornalistas do naipe dos da BBC Brasil, que informaram o jornal, confundem tudo e misturam alhos com bugalhos, além de não entenderem patavina de economia. Aliás a social democracia européia é assim mesmo: aceita tudo o que fôr "informação" que convenha a seus ridículos objetivos políticos; por isso os netos da atual geração viverão na miséria, uma vez que seus pais e avós fizeram tudo "politicamente correto".

Selmo Rosa de Araujo

Guaraci - Paraná - Revenda de produtos agropecuários
postado em 12/05/2008

O que esta faltando para o Brasil se revelar como um grande exportador de carne , e hoje esta mais dependendo de um programa de investimento do governo ou um aprimoramento dos produtores ?

Rodrigo Martins Ferreira

Bonito - Mato Grosso do Sul - Estudante
postado em 13/05/2008

Além de investimentos do governo em médio e longo prazo, principalmente em portos,rodovias e ferrovias; a uma nessecidade de logistica no transporte e armazenamento,no qual o PAC esta sendo coordenado.

Só que infelizmente ainda tem muitos agropecuárista e agricultores que necessitam de aprimoramentos técnicos, investimento em mão de obra qualificada,gestão,rastreabilidade que não é uma exigência da UE mas sim do mercado mundial por qualidades no alimento, é só fazermos a lição de casa e brevemente alcançaremos o estato de celeiro do mundo.

NÃO esquecendo da questões ambientais.

Juan Manuel Cano Codas

Assunção - Central - Paraguai - Produção de gado de corte
postado em 16/05/2008

O Brasil é nosso exemplo a seguir no negócio agropecuário.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade