Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Leite de cabra: parceria desenvolverá banco de dados

postado em 21/09/2009

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O alto teor nutricional do leite de cabra justifica o valor agregado, mas a atividade ainda engatinha no país. Nos próximos anos, porém, a caprinocultura leiteira pode ganhar força. A projeção é da Embrapa Caprinos e Ovinos, em Sobral, no Ceará, que, em parceria com a Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos de Minas Gerais (Caprileite), forma banco de dados para tornar a atividade mais profissional.

Com plantel de 88.771 animais em 2007, conforme o IBGE, o Rio Grande do Sul corresponde a menos de 1% do rebanho caprino do país, que naquele ano chegou a 9,45 milhões de animais. "Os produtos feitos com leite de cabra são nobres e saudáveis. Há um mercado enorme esperando, inclusive na Europa, mas ainda não estamos preparados", diz a enóloga Maria Regina Flores, que entrou na atividade há 16 anos e hoje mantém plantel de 1,2 mil matrizes em Farroupilha.

O leite de cabra pode ser encontrado em queijos, achocolatados, doces, licores, bombons, cosméticos, iogurtes e outros produtos. Ao consumidor, um litro de leite integral longa vida pode chegar por R$ 5,50, e os queijos alcançam média de R$ 40,00 o quilo. Mas o volume do rebanho e da produção comprometem a atividade em escala. O reflexo se dá nas propriedades mais tecnificadas, com custos altos, ou nas pequenas, que, pela baixa quantidade entregue à indústria, conseguem preços menos atrativos. Segundo o pesquisador Vinícius Pereira Guimarães, da Embrapa, o custo de produção oscila entre R$ 0,67 e R$ 1,21 por litro, dependendo do sistema. E o preço praticado pelas indústrias ronda a casa de R$ 1,30. O número contrasta com a bovinocultura leiteira, cujo custo de produção é de R$ 0,62 no Estado, muito próximo do preço ao produtor.

Uma alternativa para o crescimento surgiu na Expointer. A união do setor em todo o país, propondo o investimento em publicidade para divulgação, foi proposta em evento promovido pela Associação dos Caprinocultores do RS (Caprisul).

As informações são da Embrapa Caprinos e Ovinos, publicadas no jornal Correio do Povo/RS, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade