Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

MA: prefeitura reúne criadores para discutir caprinocultura leiteira

postado em 18/04/2013

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

 A Secretaria de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa) reuniu criadores e representantes do Banco do Brasil para avaliar a situação do Desenvolvimento Rural Sustentável (DRS) de caprinocultura leiteira de São Luís. A falta de funcionamento da usina de pasteurização deixou grande parte dos produtores endividada com o banco, resultando na queda acentuada da produção de leite e no desaparecimento da quase totalidade do rebanho.

O encontro buscou discutir a atual situação do DRS, resolver o problema da dívida vencida dos criadores e auxiliar na retomada da produção. De acordo com o secretário Marcelo Coelho, logo após o equacionamento da crise, já existe um entendimento com a Secretaria de Educação (Semed) para que toda a produção de leite do DRS de São Luís seja inserida na merenda escolar. Com essa iniciativa, é garantido o escoamento da produção, um dos gargalos que o projeto não conseguiu vencer.

O gerente-geral da agência Centro do Banco do Brasil, Alan Bastos, acompanhado da gerente de relacionamento, Ana Paula Fernandes, propôs novos prazos de renegociação das dívidas, contratação de recursos para remontar a usina de pasteurização e incentivo à ampliação do rebanho existente.

O DRS de Caprinocultura da Semapa foi um dos projetos mais bem sucedidos da Prefeitura de São Luís até o início de sua segunda fase em 2011. Os 42 produtores, apoiados em recursos do Pronaf do Banco do Brasil e Fundação Banco do Brasil, chegaram a constituir um expressivo rebanho de cabras da raça Saanen de alta linhagem e alta produtividade leiteira.

Cada produtor possuía em média seis matrizes capazes de produzir três litros de leite por animal/dia. Considerando a produção média, todo o DRS chegou a produzir 756 litros de leite/dia em duas ordenhas. Com o produto vendido a R$ 3 o litro, cada família recebia R$54/dia, totalizando R$1.620/mês. Com a venda de cabritos e adubo, o faturamento chegava a R$ 2 mil/mês por família.

Muitos produtores presentes optaram por continuar no DRS, com a promessa de conseguir novos prazos para pagamento das dívidas, revitalização dos rebanhos, garantia de funcionamento da usina de pasteurização de leite, construção de poços artesianos para irrigação, assistência técnica-veterinária contínua e ampliação de “capineiras” para alimentar os animais.

Durante a reunião, o DRS de Caprinocultura da Semapa foi reconhecido pelo Banco do Brasil como um dos mais bem sucedidos projetos agropecuários de produção de leite de cabra. Ao final do encontro, o secretário Marcelo Coelho disse, que com o apoio do Banco do Brasil, da Fundação do Banco do Brasil e dos criadores, o DRS de Caprinocultura será ampliado e se transformará em um projeto produtivo realmente sustentável, de grande rentabilidade para as famílias participantes.

A reportagem é da Prefeitura Municipal de São Luís, adaptada pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Cassimiro José Dantas

Pedro Avelino - Rio Grande do Norte - Consultoria/extensão rural
postado em 20/04/2013

só nos resta parabenizar esse gestor que apoia a caprinocultura e paga o preço justo de R$ 3,00 por litro. parabéns!

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade