carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Mapa firma convênio para conservação de material genético de caprinos e ovinos

postado em 17/07/2013

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Foi assinado na última segunda-feira, 15 de julho, um termo de cooperação entre representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Alagoas (CECA-UFAL) com o objetivo de conservação e melhoramento de espécies com risco de extinção.

Os caprinos e ovinos tiveram origem no Nordeste, região do semiárido brasileiro, onde muitas raças estão ameaçadas de extinção devido à seca. Serão conservados os materiais genéticos de caprinos das raças Marota e Moxotó e da espécie ovina das raças Rabo Largo e Cara Curta. “Há vários motivos que justificam a defesa irrestrita das iniciativas de conservação dos recursos genéticos. É nosso dever dedicar esforços para que as raças originadas na região mantenham-se conservadas, não apenas para um possível uso futuro, mas principalmente, para uma utilização associada à sustentabilidade. As raças nativas são instrumentos com os quais precisamos contar no presente e no futuro”, disse o secretário de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo do Mapa, Caio Rocha.

De acordo com Rocha, a substituição das raças nativas vem crescendo em razão da falta de medidas especiais para seu uso sustentável e conservação, proporcionando aos criadores o apoio adequado. “Para o bem das futuras gerações, os recursos genéticos vegetais e animais devem ser considerados como um dos maiores patrimônios históricos, culturais e ambientais da região Nordeste”, salientou.

As informações são do Mapa, adaptadas pela Equipe FarmPoint.
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Diones Oliveira Santos

Sobral - Ceará - Pesquisa/ensino
postado em 18/07/2013

Essa é uma iniciativa de grande relevância pois não só resgata como mantém a biodiversidade racial dos pequenos ruminantes que são fontes de proteína animal, ainda em estudo. E se não existir esse "olhar" especial para essas raças, um grande risco de elas "sumirem", por uma erosão causada pelos cruzamentos indiscriminados... É de fundamental importância a quantificação e localização desses indivíduos, no contexto regional e até nacional.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade