Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

MilkPoint e UFLA lançam Ebook inédito sobre práticas e uso de silagens no Brasil

postado em 27/03/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Levantamento das práticas de produção e uso de silagens em fazendas produtoras de leite no Brasil

O site MilkPoint em parceria com o Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) desenvolveu um ebook inédito sobre práticas de produção e uso de silagens em fazendas leiteiras no Brasil. Mesmo focado em fazendas leiteiras, estamos publicando esse trabalho no FarmPoint porque ele traz informações muito interessantes sobre as práticas de ensilagem como estratégias de alimentação para ruminantes e curiosidades sobre esse processo.

O trabalho, coordenado pelo Professor Thiago Fernandes Bernardes, da UFLA, baseou-se em uma pesquisa realizada no site MilkPoint tendo a participação de mais de 500 pessoas, entre técnicos e produtores. O intuito foi conhecer as práticas de ensilagem em fazendas leiteiras para que estratégias de alimentação, gestão e linhas de pesquisa e créditos possam ser aperfeiçoadas e/ou definidas, em benefício à cadeia produtiva do leite.

"É de conhecimento geral que as forragens conservadas (silagem e feno) constituem a base da alimentação de rebanhos leiteiros e que seu custo está altamente relacionado com a lucratividade das fazendas, mas a pergunta agora é: como as propriedades estão fazendo o manejo desses volumosos? Quais são os principais desafios que os produtores enfrentam? Conhecendo este cenário, a classe produtora, a academia, a indústria e os governos estarão mais aptos a definirem as suas ações para o futuro do setor leiteiro", escreveu Bernardes.

Desta forma, o levantamento possui grande relevância devido ao seu vanguardismo, pois há muitos anos que as silagens são utilizadas no plano alimentar dos animais e essa é a primeira vez que um banco de dados desta natureza vem a público. Esse trabalho foi realizado com o patrocínio da Dow AgroSciences Pastagens.

Para acessar e baixar o ebook na íntegra clique aqui!

Abaixo, o resumo das principais conclusões do levantamento:

- O milho é a espécie mais cultivada para a produção de silagens (45%). Devido as características nutricionais serem semelhantes a do milho, a silagem de sorgo apareceu como segunda opção na maioria das propriedades. A cana-de-açúcar parece que vem ganhando espaço neste cenário, na companhia das silagens de capins tropicais. As forrageiras de clima temperado surgem como opções na região Sul, principalmente como pré-secados;

- A maioria dos produtores possui os seus maquinários para a produção de silagens. Contudo, uma grande parcela (cerca de 40%) ainda depende do empréstimo de equipamentos ou terceiriza os serviços;

- As colhedoras tracionadas por trator foi citada em 87% das respostas, sendo o principal modelo utilizado nas propriedades leiteiras para a colheita e picagem das culturas;

- 71% dos produtores não utilizam aditivos. Quando utilizados ou recomendados, a classe dos inoculantes bacterianos foi a mais citada;

- O desabastecimento manual foi o mais utilizado por 85% participantes;

- O descarte de silagem deteriorada é uma prática comum nas propriedades;

- A avaliação da composição química e da matéria seca ainda são práticas da minoria das fazendas (42%);

- As principais barreiras encontradas nas fazendas para se produzir silagens são: Falta de equipamentos nas etapas da ensilagem, carência de mão-de-obra, variações no clima, custos dos insumos e dos maquinários, carência de informações dos produtores e a resistência deles em aceitar e executar as recomendações técnicas, falta de planejamento das operações e carência de serviços terceirizados qualificados.

A matéria é da Equipe MilkPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade