Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

MS: Iagro certifica frigorífico para abate de ovinos

postado em 09/12/2008

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Com um abate experimental realizado no último sábado (6), a Agência de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) certificou o único frigorífico que atualmente está abatendo ovinos no Estado. Na unidade, localizada em Sidrolândia, foram investidos R$ 30 mil para adequação da estrutura que deverá abater mil animais/mês. Toda a produção será destinada ao mercado interno, pois a unidade possui apenas Serviço de Inspeção Estadual (SIE).

Monitorado por três fiscais da Iagro e acompanhado pela secretária Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias (Seprotur) e o secretário adjunto, Paulo Angel, o primeiro abate serviu para avaliar as adaptações da planta que já abate bovinos. Ao todo 53 cabeças de ovinos foram abatidas (todos machos semi-precoces, 8/12 meses, pesando em média 18 kg carcaça).

A capacidade de abate da unidade é de 300 animais/dia, porém, conforme explicou Martinho Marques de Souza, responsável pelo departamento comercial da indústria, "as escalas para abate de ovinos acontecerão somente aos sábados, permanecendo o abate de bovinos de segunda a sexta-feira". Ainda segundo Souza, para o próximo sábado já está previsto o abate de 150 cabeças.

Todos os animais abatidos na escala experimental pertencem ao Projeto Troca de Ovinos, desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur) em parceria com a Fundação Manoel de Barros.

Segundo explicou a secretária executiva da Câmara Setorial de Ovinos vinculada a Seprotur, Mariana Gilberti, o Projeto consiste na distribuição de matrizes, sendo assim todos machos são destinados ao abate comercial - conforme estabelece o convênio - e o lucro deste serve para custeio de despesas relacionadas à alimentação e sanidade do rebanho, entre outros.

Para a secretária Tereza Cristina, muitos produtores ainda não enxergam a atividade como uma opção de renda. "Como o mercado está exigente o que falta é padronização, e para isso precisamos de investimentos em tecnologia e genética", garante ela destacando que hoje o Estado desenvolve iniciativas no sentido de organizar o setor, a exemplo dos Arranjos Produtivos Locais implantados em Ponta Porã e na Capital.

O potencial da atividade é visível, mas conforme Mariana Gilberti o rebanho estadual ainda é pequeno e por isso a constância no fornecimento de animais é visto como um gargalo para a atividade. Segundo dados do IBGE (2006) a população de cordeiros em Mato Grosso do Sul é de aproximadamente um milhão de cabeças - o rebanho nacional é de 16 milhões.

Além do frigorífico de Sidrolândia outras três unidades são habilitadas para abater ovinos no Estado, todas com Serviço de Inspeção Federal (SIF): Frigorífico JS, em Campo Grande (abate exclusivo de ovinos, mas se encontra desativado), Frigorífico Tatuibi, em Cassilândia (planta mista, atualmente abate só bovinos) e Frigorífico Andrade, em Nova Andradina (planta mista, atualmente abate só bovinos).

As informações são da Assessoria de Imprensa Seprotur, resumidas e adaptadas pela equipe FarmPoint.

Fotos do abate experimental

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Leonilson Serrão Araújo

São Luís - Maranhão - Médico Veterinário
postado em 01/08/2013

Foi bastante proveitosa a matéria acima, enriqueceu muito os nossos conhecimentos, estou precisando no momento de um modelo de planta baixa de mini-matadouro de caprinos e ovinos.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade