Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

MS: instituições ampliam Projeto Troca de Ovinos

postado em 16/12/2010

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Hoje, a partir das 8h30min, na Fazenda escola Três Barras, será realizada solenidade que firmará a cooperação institucional entre a Universidade Anhanguera-Uniderp, a Fundação Manoel de Barros (FMB), a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e o governo do Estado, por meio da Seprotur, para ampliar as ações relacionadas a implementação do Projeto Troca de Ovinos.

A parceria irá auxiliar no desenvolvimento do projeto de autoria da UFGD intitulado "Caracterização e bases para o melhoramento genético de ovinos naturalizados do Pantanal".

Estarão presentes o reitor da Universidade Anhanguera-Uniderp, Guilherme Marback Neto; a secretária da Seprotur, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias; o reitor da UFGD, Damião Duque de Farias; o pró-reitor de extensão da Universidade Anhanguera-Uniderp, Ivo Busato; o diretor administrativo da FMB, Marcos Henrique Marques; o professor do curso de Medicina Veterinária da Anhanguera-Uniderp, Guilherme dos Santos Pinto e o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da UFGD, Fernando Miranda.

O termo de cooperação tem como objetivos viabilizar programas de intercâmbio nas áreas técnicas, científica e cultural, em busca do atendimento às necessidades institucionais e da comunidade, especificamente atividades de ensino, pesquisa e extensão; além de realizar estudos, pesquisa, cursos, seminários, conferências, congressos, atividades educativas e culturais. Na ocasião, a Fundação Manoel de Barros também irá ceder à UFGD 79 animais para projeto de pesquisa.

Projeto Troca de Ovinos

Uma ideia inovadora que alterna positivamente o panorama da ovinocultura em Mato Grosso do Sul. Assim é o Projeto Troca de Ovinos que realiza a entrega de lotes de fêmeas a produtores rurais com o objetivo de desenvolver rebanhos mais produtivos, animais trabalhados geneticamente e ambientalmente adaptados ao Estado.

Os objetivos principais desse projeto são contribuir para a diversificação e aumento da produtividade da pecuária de MS, propiciar inclusão social e econômica de pequenos produtores, incrementar o interesse pela ovinocultura no Estado e auxiliar na concretização da produção de ovinos como mais uma alternativa de consumo de proteína animal.

O desenvolvimento é feito em quatro etapas. Inicialmente, acontece a seleção de matrizes prenhes no Centro Tecnológico de Ovinocultura (CTO), da Universidade Anhanguera-Uniderp, na Fazenda-Escola Três Barras. Nesta fase são feitas avaliações genéticas dos reprodutores, matrizes e animais jovens para características produtivas e reprodutivas, a intenção é aumentar a produção de carne por hectare, com custos menores. O processo de seleção dos animais é de forma criteriosa, pois são consideradas características reprodutivas, precocidade, desenvolvimento muscular, acabamento de carcaça e ganho de peso.

Posteriormente é feita a seleção e o treinamento dos produtores rurais. Para se credenciar é necessário ser classificado como pequeno produtor, morar preferencialmente na propriedade, utilizar mão-de-obra familiar e diversificar a produção. Além disso, são considerados fatores como regularização nos órgãos de fiscalização sanitária e fiscal, estar na área de atuação do Projeto, participar dos cursos de capacitação, já ter tido contato com a ovinocultura e fornecer o apoio necessário para o desenvolvimento do rebanho.

Na terceira etapa é realizado o repasse de animais e acompanhamento técnico. Por último, ao final de um período de três anos, os produtores devolvem a mesma quantidade de animais que receberam, com observação ao padrão sanitário e zootécnico. Então, concluídos três anos, há uma ampliação do número de ovinos e novos produtores podem se beneficiar.

O projeto Troca de Ovinos é desenvolvido por meio de parceria entre a Anhanguera-Uniderp, Fundação Manoel de Barros, Governo do Estado e Prefeituras Municipais. "É mais um exemplo de que quando instituições sérias e comprometidas se unem, os resultados são extremamente favoráveis", acrescenta Busato.

As informações são da Universidade Anhanguera-Uniderp, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade