Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Noruega aprova controle de desmatamento do Brasil

postado em 25/08/2008

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Vista por autoridades brasileiras como exemplo do que fazer com as riquezas do petróleo, a Noruega vê o Brasil como modelo do que fazer no combate ao desflorestamento. O governo norueguês se dispõe a pagar para apoiar e acompanhar a experiência brasileira, e pensa em exportar esse conhecimento a outros países de floresta tropical. Quem afirma isso são o primeiro-ministro da Noruega, Jens Stoltenberg, e o ministro de Meio Ambiente do país, Erik Solheim. Eles viajam em setembro ao Brasil para apoiar o recém-criado Fundo de Preservação da Amazônia.

"Nos impressionou o que o Brasil tem feito em biocombustíveis e com a preservação da floresta", diz o primeiro-ministro Jens Stoltenberg. "Vocês estão muito além de qualquer outro país nesse tema", confirma o ministro Solheim. "Há experiências positivas que podemos usar no Congo, em Papua-Nova Guiné e em outros países da América Latina."

Os noruegueses sabem do aumento recente da taxa de desmatamento e das ameaças à floresta, mas Solheim argumenta que não existe em nenhum outro lugar do mundo um mecanismo tão sofisticado de acompanhamento em tempo real, por satélites e relatórios periódicos, do que acontece nas áreas de mata tropical. A criação do fundo de proteção da Amazônia, discutido nos últimos meses entre autoridades brasileiras e norueguesas, também impressiona o governo de lá.

Embora haja ministros na coalizão governista norueguesa que temem apoiar agricultores na floresta, governo e organizações não-governamentais do país concordam que o combate ao desmatamento no Brasil deve incluir apoio monetário a atividades econômicas alternativas para as populações amazônicas. "Já passamos da fase de projetos-piloto, localizados", comenta o secretário-geral da ONG Amigos da Terra na Noruega, Jan Odegard. "Com o dinheiro destinado pela Noruega para enfrentar a mudança de clima, temos de financiar políticas nacionais contra o desmatamento", diz ele, que vê o Brasil como possível "modelo para o mundo".

Para ele, o Brasil, mesmo com "problemas", avançou impressionantemente nos mecanismos de policiamento e repressão à derrubada das matas. "É importante ter iniciativas positivas ao lado da fiscalização", endossa o coordenador da Amigos da Terra para a Amazônia, Torkjell Leira, que critica apenas o pequeno número de representantes da sociedade civil no conselho gestor do fundo brasileiro, dominado pelo governo.

O ministro brasileiro do Meio Ambiente, Carlos Minc, já declarou que o Brasil receberá US$ 100 milhões, dos cerca de US$ 600 milhões anuais que a Noruega pretende destinar, por cinco anos, à projetos de redução das emissões de carbono, mas o primeiro-ministro Jens Stoltenberg afirma que a quantia a ser doada ao país ainda é segredo, a ser revelado durante a visita ao Brasil, em setembro.

O apoio da Noruega a projetos de meio ambiente é defendido pelo país como uma maneira de compensar a contribuição negativa, para o meio ambiente, da indústria de petróleo - principal atividade econômica, responsável por 24% do Produto Interno bruto e 50% das exportações norueguesas.

As informações são de Sérgio Leo para o jornal Valor Econômico.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

PAULO SARAIVA DE JESUS FRANÇA

Paranaíta - Mato Grosso - Produção de gado de corte
postado em 25/08/2008

Pelo visto o governo começa a lotear a Amazonia usando este fundo como disfarce.

Como tantos outros fundos, dificilmente veremos chegar estes recursos nas mãos das pessoas que realmente necessitam.

A Amazonia tem que ser loteada entre os brasileiros. Ai sim, se algum estrangeiro se interessar por ela que se associe a um proprietário brasileiro. Que com recursos fartos poderá desenvolver atividades respeitando todas as leis ambientais.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade