Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Nova técnica de identificação da brucelose ovina

postado em 11/05/2010

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Considerada um problema sanitário importante nos países onde a ovinocultura é uma atividade consolidada, a brucelose prejudica a capacidade reprodutiva dos machos e o agente causador de infertilidade compromete seriamente o sistema produtivo. Fruto da colaboração científica entre a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade da Califórnia, em Davis (EUA), uma técnica mais sensível para diagnosticar a doença está em processo de patenteamento junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial. O método, recentemente publicado pela revista internacional Veterinary Microbiology, se baseia na amplificação do material genético da bactéria e viabiliza resultados bem mais específicos que os similares.

À frente da pró-reitoria de pesquisa da UFMG, o professor da Escola Veterinária, Renato Lima dos Santos observa que a principal vantagem desse novo modelo é que, a partir da sua implantação e generalização, a identificação de animais doentes será mais eficaz para nortear as medidas adequadas de controle. Na prática, muitos animais contaminados com essa enfermidade não desenvolvem nenhum tipo de sinal clínico. Sendo assim, os carneiros podem disseminar o patógeno dentro do rebanho sem manifestar alterações perceptíveis pelos criadores e veterinários.

Os procedimentos usuais são limitados em vários pontos. Parte dos esforços do grupo de pesquisa tem sido melhorar a eficiência do reconhecimento de animais portadores dessa infecção. A especificidade é importante também porque existem outros organismos causadores de brucelose em várias espécies domésticas com potencial para infectar o homem, que não é o caso da Brucella ovis, responsável pela brucelose ovina. Com os estudos, verificamos que a inovação identifica o agente com exatidão mesmo em caso de baixas concentrações - revela.

Santos diz que os trabalhos na área de doenças infecciosas interferentes na reprodução de animais domésticos criaram condições experimentais de obter amostras de sêmen, que é o principal veículo de contaminação da doença em questão e ainda de tecidos de animais portadores da Brucella ovis. A partir do acesso à tecnologia científica e material adequados, é possível promover uma comparação entre as metodologias e a expectativa agora é aplicar os testes a campo em larga escala.

Uma vez estabelecidos esses parâmetros de praticidade de utilização da técnica nas condições normais, estará pronta para ser inserida na rotina de diagnósticos. Os números apurados até o momento se referem aos procedimentos experimentais de validação técnica. A segunda etapa, já iniciada, é para verificar o potencial do modelo no levantamento de dados epidemiológicos, contribuindo para o conhecimento em termos de distribuição geográfica da doença - conclui.

As informação são da Agência de Notícias de Caprinos e Ovinos da Embrapa, resumidas e adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Olga Maria muraro

Canoas - Rio Grande do Sul - OUTRA
FarmPoint - postado em 18/05/2010

Gostaria de saber qual a melhor maneira de construirmos um curral para ovinos e também os piquetes, sendo que estes devem ser móveis ou fixos?

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade