Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Novo BC pode dar fôlego extra ao varejo

postado em 11/01/2011

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Existe uma grande discussão entre os analistas sobre o destino das ações voltadas ao mercado interno. Um grupo acredita que esses papéis já subiram muito, enquanto há outro que defende que eles ainda podem subir. Este último grupo ganhou um reforço de peso: o Banco Central do governo de Dilma Rousseff. No mercado, há quem acredite que a postura do novo BC pode dar um fôlego extra aos papéis de varejo.

Sob a batuta do presidente Henrique Meirelles, o BC usou a política monetária como a principal forma de conter a economia e a inflação. O novo BC, sob o comando de Alexandre Tombini, já mostrou que, além da taxa de juros, deve usar outras medidas com o objetivo de conter a alta dos preços. Entre eles, o aumento do depósito compulsório dos bancos.

O mercado avalia, no entanto, que é mais difícil controlar a inflação com essa nova política. "Há quem acredite que esses instrumentos não são precisos e que não dá para medir os seus efeitos sobre a economia", afirma o chefe da área de renda variável da Fundação Cesp, Paulo de Sá Pereira. Segundo ele, as tais medidas podem não ser suficientemente eficientes para domar a inflação. "Existe o risco de o BC ficar atrasado, permitindo que a expansão doméstica seja maior do que deveria ser para que não haja pressão inflacionária", explica Sá Pereira. Ele lembra que o próprio discurso da presidente da República vai na linha de um crescimento maior, com uma inflação também um pouco maior.

Na bolsa, um crescimento econômico maior do que o previsto pode significar uma nova rodada de valorização nas ações voltadas ao mercado interno, como varejo e consumo, que já subiram bem no ano passado. "Apesar de já estarem caros, essa nova política do BC pode sustentar esses papéis em níveis altos", diz Sá Pereira. Ele reforça que os investidores precisam ter em mente que essas ações estão longe de ser uma barganha e que existe um risco razoável de elas passarem por um momento de, no mínimo, estagnação.

A matéria é de Daniele Camba, publicada no jornal Valor Econômico, resumida e adaptada pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade