Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Novo tipo de febre aftosa atinge Egito, diz FAO

postado em 23/03/2012

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Uma nova cepa de febre aftosa (FMD) atingiu o Egito e ameaça se espalhar por todo o Norte da África e o Oriente Médio, colocando em risco a segurança alimentar na região, disse a Organização para a Alimentação e a Agricultura das Nações Unidas (FAO), nesta quinta-feira.

Houve 40.222 casos suspeitos da doença no Egito e 4.658 animais, principalmente bezerros, já morreram, disse a FAO em comunicado, citando estimativas oficiais. "Embora a febre aftosa tenha circulado no país por alguns anos, esta é uma introdução totalmente nova de uma cepa de vírus conhecido como SAT2, e o gado não tem nenhuma imunidade contra ela", disse a agência com sede em Roma.

As vacinas são uma necessidade urgente, uma vez que 6,3 milhões de bufalinos e bovinos e 7,5 milhões de ovinos e caprinos estão em risco no Egito, segundo a FAO. "A área em torno do Baixo Delta do Nilo parece ter sido severamente afetada, enquanto outras áreas no Alto Egito e do oeste parecem menos", disse Juan Lubroth, diretor do escritório de Veterinária da FAO, chamando por uma forte ação para impedir a propagação da doença.

A febre aftosa é uma doença altamente contagiosa e às vezes fatal que afeta animais de casco fendido, como ovinos, caprinos, bovinos, bubalinos e suínos.

O Egito possui algumas reservas de suas próprias vacinas, mas estas não protegem contra o vírus SAT2. O país pode precisar de apoio regional na mobilização de estratégias efetivas, afirmou a FAO.

Com as vacinas às vezes levando até duas semanas para conferir imunidade, esforços conjuntos para aumentar as medidas de biossegurança, para limitar a propagação da doença, são urgentemente necessários, disse a FAO, cuja equipe de emergência visitou o Egito na semana passada.

Tais medidas incluem limitar os movimentos dos animais e evitar o contato com animais de outras fazendas, evitar a compra de animais de imediato, uma vez que eles podem ter vindo de fontes contaminadas.

A matéria é de Svetlana Kovalyova, do Reuters, adaptada pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

mucio paixão de araujo

Luz - Minas Gerais - Produção de caprinos de corte
postado em 23/03/2012

As vacinas brasileiras protegem contra este subtipo SAT2?

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade