Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Oferta de cordeiros direciona as exportações australianas para 2013

postado em 19/12/2013

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Os volumes de exportação da carne de cordeiro nesse ano foram impulsionados pelas altas taxas de abate, à medida que os envios totais nos primeiros 11 meses de 2013 foram de 193.509 toneladas, 12% a mais (21.343 toneladas) do que no mesmo período do ano anterior e 29% a mais que a média dos últimos cinco anos, de acordo com dados do Departamento de Agricultura (DA). Pela primeira vez na história, as exportações australianas de carne de cordeiro deverão ultrapassar a marca de 200.000 toneladas, por um valor total de cerca de A$ 1,2 bilhão (US$ 1,07 bilhão).

A construção do rebanho nacional nos últimos três anos, junto com as amplas condições de seca no leste da Austrália, resultaram em abates de cordeiros nos estados do leste, alcançando cerca de 17 milhões de cabeças, quase 1 milhão de cabeças a mais que no ano anterior. O maior volume exportado até agora nesse ano foi principalmente direcionado pela oferta, com marcados aumentos anuais nos principais mercados, à medida que os menores preços dos cordeiros australianos ajudaram a compensar a moeda forte do país.

Até novembro de 2013, o Oriente Médio permaneceu como o maior destino de exportação para a carne de cordeiro australiana, comprando 54.924 toneladas (o que representa 28% das exportações totais de carne de cordeiro australiana), 16% e 63% a mais que no ano anterior e que a média dos últimos cinco anos, respectivamente. O surgimento de Bahrain como o segundo maior mercado de carne de cordeiro no Oriente Médio em 2013, representando 22% do total das exportações, em 12.350 toneladas (aumento de 418% com relação ao ano anterior), apoiou o aumento significante da região.

Os envios aos Emirados Árabes Unidos e Kuwait impulsionaram as exportações ao Oriente Médio, aumentando 20% e 42% no mesmo período, para 14.288 toneladas e 3.844 toneladas, respectivamente. Em contraste, os envios ao Irã (2.580 toneladas), Jordânia (11.837 toneladas), Qatar (5.478 toneladas) e Arábia Saudita (3.407 toneladas) caíram 62%, 1%, 2% e 10% com relação ao ano anterior, respectivamente.

Apesar de ter sido ultrapassado pela China como o maior destino de exportação em 2013 até novembro, os Estados Unidos continuaram sendo o mercado mais valioso da Austrália com os cortes de maior valor e a forte demanda. Os envios aos Estados Unidos aumentaram 6% com relação ao ano anterior e 8% com relação à média dos últimos cinco anos, para 35.530 toneladas.

As populações crescentes e as rendas familiares nos países em desenvolvimento da Ásia deram suporte ao crescimento das exportações à região, com os envios à Grande China (43.914 toneladas) e Sudeste da Ásia (8.470 toneladas) aumentando 41% e 5% com relação ao ano anterior, respectivamente. Apoiando o aumento para a Grande China estiveram as vendas de 9.264 toneladas ou 35% mais carne de cordeiro à China, em 35.905 toneladas, e 3.399 toneladas, ou 112% de aumento, para Hong Kong, em 6.426 toneladas. Isso foi apoiado, em menor escala, pelas exportações a Taiwan, com aumento de 10% com relação ao ano anterior, em 1.573 toneladas. A Malásia foi responsável por 63% das exportações de carne de cordeiro ao sudeste da Ásia, com aumento de 16% com relação ao ano anterior, para 5.357 toneladas, com todos os demais mercados permanecendo relativamente estáveis, exceto Vietnã, que comprou duas vezes a quantidade de cordeiro do ano anterior.

As condições econômicas complicadas na União Europeia (UE) durante 2013 levaram os envios à região a caírem 8% com relação ao mesmo período do ano anterior, para 10.016 toneladas. O Reino Unido, maior destino de exportação da carne de cordeiro da Austrália na UE, foi responsável por 76% das exportações totais de carne de cordeiro à região em 2013, em 7.572 toneladas, 6% a menos que no ano anterior e 3% a menos com relação à média dos últimos cinco anos.

A demanda de Papua-Nova Guiné começou o ano forte, com as exportações até julho aumentando 4%, ou 336 toneladas, com relação ao mesmo período do ano anterior. Entretanto, um declínio nos envios nos últimos meses viu as exportações até novembro caíram 6% com relação ao ano anterior, para 11.576 toneladas – ainda que 20% a mais que a média dos últimos cinco anos.

Em 18/12/13 – 1 Dólar Australiano = US$ 0.89259
1,12011 Dólar Australiano = US$ 1 (Fonte: Oanda.com)

A reportagem é do Meat and Livestock Australia (MLA), traduzida e adaptada pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade