Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Orçamento instável reprime investimentos e prejudica Ministério

postado em 21/01/2014

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Enquanto as despesas com funcionários crescem no ritmo da inflação e deixam pouca margem para gastos com investimentos, o orçamento do Ministério da Agricultura vem sendo significativamente achatado nos últimos anos, conforme reportou o Valor Econômico.

Segundo o Portal da Transparência, o pagamento de pessoal em 2013, no total de R$ 2,9 bilhões, representou 87% do orçamento liquidado do Ministério da Agricultura de R$ 3,3 bilhões, que subiu apenas 14% de 2009 a 2013. O orçamento do órgão, excluindo as autarquias, tem sido instável e os recursos efetivamente liberados não acompanham sequer a evolução da inflação, o que reduziu a capacidade de investimentos.

Com relação à folha de pagamento, os gastos com ativos somaram R$ 1,6 bilhão em 2013 e os inativos e pensionistas, R$ 1,3 bilhão. Dos 33 mil funcionários, segundo dados do Ministério do Planejamento, a agricultura tem apenas 10,8 mil ativos. Mesmo com a redução no quadro de funcionários, o qual em 2009 era de 12,1 mil, os reajustes de salários e benefícios fizeram o gasto com pessoal saltar de R$ 2,3 bilhões em 2009 para R$ 2,9 bilhões no ano passado. Com isso, nos últimos anos, houve a junção de vários programas em uma rubrica e alguns foram simplesmente extintos.

Conforme informou o Valor, a defesa agropecuária foi uma das atividades mais prejudicadas pelos seguidos cortes de gastos em investimento. Segundo o Portal da Transparência, em 2013, com um orçamento de R$ 158 milhões, apenas R$ 81 milhões foram executados até dezembro. Em 2009, a área de defesa contava com diversos programas e um orçamento executado de R$ 123 milhões e, três anos depois, os gastos caíram para R$ 64 milhões, sendo que cerca de R$ 54 milhões foram direcionados para erradicação da febre aftosa e prevenção, controle e erradicação de doenças dos animais.

Segundo o Projeto de Lei Orçamentária (PLO), para 2014, o orçamento do Ministério da Agricultura é de R$ 4,1 bilhões, sendo que R$ 1,4 bilhão deve ir para previdência e pensionistas, R$ 1,8 bilhão para salários e despesas de gestão e R$ 267 milhões para defesa agropecuária.

As informações são do Valor Econômico, resumidas e adaptadas pela Equipe AgriPoint.

Para ler as matérias usadas como fonte, acesse:

http://www.valor.com.br/agro/3401180/orcamento-instavel-prejudica-ministerio#ixzz2r1toWCUW
http://www.valor.com.br/agro/3401266/ministerio-da-agricultura-perde-recursos-e-encolhe#ixzz2r1nk7dHX

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade