Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Ovinocaprinocultura dá sustentabilidade a 600 produtores rurais no Cariri

postado em 23/07/2012

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A maior produção de leite de cabra do Brasil se concentra no Cariri e, de acordo com o IBGE, fica à frente do Rio Grande do Norte, Ceará e Pernambuco. O leite é beneficiado em São Sebastião do Umbuzeiro, Zabelê, Monteiro, Prata, Amparo, Sumé, Gurjão e Cabaceiras. Essas oito Unidades de Beneficiamento de Leite (UBLs) distribuem para 31 municípios do território. O leite beneficiado, pasteurizado e envasado, beneficia aproximadamente três mil famílias carentes.

O projeto é apoiado pelo Sebrae Paraíba e outras instituições que trabalham pela evolução dos agricultores familiares, como a Fundação Banco do Brasil e o BNDES. Desenvolvem ainda ações de fortalecimento da cadeia da caprinovinocultura no território, a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) em Patos, Embrapa Caprinos, Parque Tecnológico, além de várias ONGs.

Conforme o analista técnico do Sebrae em Monteiro e gestor do projeto Aprisco, João Jardelino Neto, atualmente, 80% dos pequenos produtores rurais produzem até 20 litros de leite de cabra/dia. "Isso gera uma renda bruta mensal de R$ 750,00 para cada família, já que o perfil destes produtores são todos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf)", disse.

Ele disse que o Cariri já tem um padrão satisfatório para os produtos derivados do leite. "Participamos de feiras e eventos, com degustação e pesquisas junto a consumidores e sempre somos destaque pela qualidade dos produtos", afirma. Os esforços atualmente são para livrar os produtores da dependência das compras governamentais.

Mas, para manter a sustentabilidade ao Programa do Leite de Cabra, iniciado há três anos, criaram um processo de qualificação para os derivados lácteos caprinos, como queijos tipo frescal, iogurte, achocolatado, leite pasteurizado e o licor de leite de cabra. "Buscamos parcerias para beneficiamento e envase do leite tipo longa vida, de melhor logística de distribuição, e uma estrutura de beneficiamento de leite em pó", falou João Jardelino.

Consumo - O Programa tem gerado uma inclusão social significativa, uma vez que tem criado um mercado e uma cultura de consumo de leite de cabra. "Isso melhora a qualidade de vida do pequeno produtor no semiárido, movimenta a economia no território, com acesso da cadeia produtiva a recursos diretos e indiretos na ordem de R$ 800 mil/mês", completou.

ADRs - Neste segmento da caprinovicultura figura o Agente de Desenvolvimento Regional Sustentável (ADRS). Importante para a mobilização social, consolidação e evolução da adoção e práticas tecnológicas simples, porém com a linguagem do homem do campo. Uma nova etapa do programa está selecionando 20 ADRS para atuarem no Cariri paraibano. O profissional deve ter formação como técnico agrícola e é capacitado e orientado para atender os 600 caprinocultores paraibanos.

Frigorífico - Dentro das ações estruturantes do programa da caprinocultura de corte foi construído um frigorífico no município de Monteiro com recursos do Pronaf e Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Foi um consórcio de sete municípios do Cariri, com capacidade de abate de 100 animais/dia. "Não se conseguiu ainda viabilizar o seu funcionamento, principalmente pelo nível ainda elevado de informalidade na cadeia do segmento. Até a pele caprina será aproveitada", disse.

Curtume - Ainda para a caprinovinocultura, está em funcionamento um curtume no Cariri paraibano, no município de Cabaceiras, a Associação de Produtores de Artefatos de Couro de Cabra (Arteza). A Associação agrega valor à pele caprina, remunerando também os produtores, estimulando um negócio que cresce no mundo. Em 2013 e 2014 mais 300 pequenos caprinocultores se integrarão ao programa.

Bode na rua - A 12ª Expofeira de Gurjão tem apresentado como objetivo principal a geração de emprego e renda para criadores do município e de outras regiões do estado. "O evento é o principal responsável pela transferência de novas tecnologias, introdução de raças melhoradas, em especial para a produção de leite. Isso tem valorizado a cadeia da caprinovinocultura, promovendo melhor inserção no mercado, numa das regiões mais castigadas pela estiagem", comentou João Jardelino.

Programação

Dia 19 (quinta)

12h - 3ª Mostra Estadual de Caprinos Leiteiros | 15h - recepção dos animais

Dia 20 (sexta)

7h - continua recepção de animais
15h30 - abertura oficial do evento
16h20 - celebração da Santa Missa
18h30 - secagem das cabras dos concursos leiteiros
20h - apresentação de grupos artísticos
22h - Forró do bode

Dia 21 (sábado)

6h30 - Concursos de cabras leiteiras (1ª ordenha)
8h - início da comercialização oficial (crédito rural)
9h - julgamento de animais
12h - Forrobodança
18h30 - Concursos de cabras leiteiras (2ª ordenha)
22h - Forró da cabra

Dia 22 (domingo)

6h30 - Concursos de cabras leiteiras (3ª ordenha)
10h - Forrobodança com entrega das premiações

As informações são Agência SEBRAE de Notícias da Paraíba, adaptada pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

MICHEL CARDOSO DIAS

Uauá - Bahia - Produção de caprinos de leite
postado em 16/04/2014

um grande avanço para o cariri , com essa vasta integração do pequeno produtor com os meios comercias gerando renda para essas familias ... parabens espero que na bahia tambem entre nesse rou de desenvolvimento

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade