Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Pará terá frigorífico para abate de ovinos e caprinos

postado em 25/09/2009

2 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O Pará vai ganhar seu primeiro frigorífico para abate de ovinos e caprinos, completando a cadeia produtiva no Estado a partir de 2010. A Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e a iniciativa privada são parceiras no projeto, que deverá ser instalado numa área da Escola Agrotécnica do município de Castanhal, no nordeste paraense, para atender criadores de todo o Estado.

"A participação da Sagri e da Emater é muito importante porque viabiliza o acesso dos pequenos criadores e estimula o crescimento da atividade no Pará", informou Joel Bitar, presidente do Sindicato e da Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos do Pará. "Tendo para quem vender a produção, acredito que dentro de um ano o número de produtores será cinco vezes maior do que hoje", disse Joel.

A Sagri incentiva a criação de caprinos e ovinos entre os produtores familiares, por meio do Projeto de Pequenos Animais. O objetivo é proporcionar alternativa de renda no meio rural e aumentar a oferta de alimentos para a população.

"A atividade é emergente no Brasil, onde 90% do abate estão na informalidade, por isso precisa de muito incentivo do governo", disse o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Ovinos, Paulo Afonso Schwab. Segundo ele, o Brasil é grande importador de carne, pele e derivados de ovinos, mas tem potencial de crescimento.

O Pará tem o maior rebanho do Norte do país, com 280 mil cabeças concentradas especialmente nas regiões do Baixo Amazonas e Nordeste do Estado. Os animais se adaptam ao clima paraense porque são resistentes ao calor. A carne é bastante apreciada não só pelo sabor, mas porque tem menos gordura e mais proteína do que a carne bovina.

As informações são da Agência Pará de Notícias, resumidas e adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Bruno Moura Monteiro

São Paulo - São Paulo - Pesquisa/ensino
postado em 29/09/2009

É mais uma vitória para a Pecuária Paraense! Fico muito feliz e orgulhoso em ver meu Estado dando mais um passo dessa magnitude. Um belo projeto que saiu do papel, graças a força da INICIATIVA privada, que é quem na verdade faz as coisas acontecerem em lugares como o Pará. Parabéns pela Gestão Presidente Joel Bitar!
E os Buiatras e professores Rinaldo Batista Viana (UFRA) e José Diomedes Barbosa Neto (UFPa) estão ai para cuidar da saúde desse futuro e promissor efetivo! Em breve estarei por ai para colaborar...
O próximo passo agora é para a suinocultura, a final, nenhum produtor quer trabalhar, abater e vender na ilegalidade... basta o governo efetivamente colaborar (SAGRI, EMATER, ADEPARÁ, UFRA e UFPa). Mas ainda vai demorar um pouco, pois ainda temos que fundar a Associação Paraense dos Craidores de Suínos (APACS).

celia azevedo

Belém - Pará - Produção de gado de corte
postado em 08/10/2009

Parabéns mesmo!!!
isso é a garantia de um futuro promissor na cadeia produtiva de ovinos e caprinos permitindo a nós, futuros zootecnistas participarmos efetivamente colaborando cada vez mais com que há de melhor na produçao animal.
ZOOTECNIA... PRODUZIR E ALIMENTAR.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade