carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Pecuaristas do RN trocam a criação de gado por caprinos e ovinos

postado em 18/10/2013

10 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A falta de chuvas no interior do estado vem mudando o perfil dos pecuaristas potiguares nos últimos dois anos. Castigados pela seca, muitos deles resolveram investir menos no rebanho bovino e apostar nos caprinos e ovinos, por serem animais de pequeno porte e mais resistentes a estiagem. No Rio Grande do Norte, já são quase 700 mil cabeças de ovinos e caprinos. Na Festa do Boi 2013, 3 mil – dos 6 mil animais presentes – são ovinos e caprinos. O evento acontece no Parque de Exposições Aristófanes Fernandes, em Parnamirim, até o próximo domingo (20).

O presidente da Associação Brasileira de Criadores de Caprinos Boer, Marcelo Abdon, conta que "mais da metade do rebanho bovino do Rio Grande do Norte morreu de 2011 pra cá. Principalmente este ano, que a seca foi mais forte". E completa: "Ninguém vê notícia de bode e ovelha morrendo. Só boi". Ele diz que a procura por reprodutores das raças Boer e Dorper vem aumentando consideravelmente aqui no estado, principalmente em municípios como Lajes, Pedro Avelino e Afonso Bezerra. Seja porque o criador não consegue repor o gado perdido na seca, ou porque percebeu que pode ser relativamente mais barato e mais fácil manter o animal em meses do ano em que o clima não é favorável. "A refeição de uma vaca alimenta até 25 bodes e ovelhas. Proporcionalmente, sai bem mais em conta", compara Marcelo.

Criado em mais de 120 países, o caprino da raça Boer chegou ao Brasil em meados da década de 90. Animais como ele são usados para o corte, para o fornecimento de carne. O criador Junior Dantas tem um pequeno rebanho de 55 caprinos e ovinos no município de Timbaúba dos Batistas, na região do Seridó potiguar. Ele afirma que o grande objetivo da criação é o fornecimento da carne para açougues e restaurantes da região, mas que também busca o melhoramento genético. Assim, ele poderá negociar os seus melhores lotes em feiras como a Festa do Boi, que é a maior exposição de animais e máquinas agrícolas do Rio Grande do Norte.

O criador ainda diz que, hoje em dia, a solução para o pecuarista potiguar é investir em caprinos e bovinos. "Eles comem menos e bebem menos porque são menores e mais resistentes. A economia de água é grande. Enquanto um boi bebe de 40 a 50 litros por dia, um bode toma uns 6 litros", explica. Além disso, a gestação desses animais duram apenas 5 meses – contra 9 meses da gestação da vaca – e geram de 2 a 3 filhotes. Após 40 dias, a fêmea já está pronta para entrar em outra gestação e garantir de 4 a 6 filhotes por ano.

6 mil ovinos, caprinos, bovinos e equinos seguem em exposição no Parque Aristófanes Fernandes até o próximo dia 20. Até lá, cerca de 500 mil pessoas devem passar por aqui. Para entrar no parque, o visitante paga um valor de R$4 (inteira) e R$2 (meia), inclusive no final de semana. A visitação pode ser realizada até às 22h.

Leilões

Na noite desta quarta-feira (16) ocorreu o VII Leilão União Potiguar, com caprinos da raça Boer e ovinos da raça Dorper. Foram 40 animais das melhores fazendas do estado leiloados no Tattersal José Bezerra de Araújo, localizado no Parque de Exposições Aristófanes Fernandes, em Parnamirim, onde acontece a Festa do Boi 2013, até o próximo domingo (20). Em média, cada um foi vendido por R$3120, gerando um montante de, aproximadamente, R$125 mil.

As informações são do G1, resumidas e adaptadas pela Equipe FarmPoint
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Luciano Ferreira dos Santos

Mirante - Bahia - Consultoria/extensão rural
postado em 18/10/2013

  A ovinocaprinocultura, tem verdadeiramente se mostrado uma melhor opção para nosso querido Semiárido.

Pedro Alberto Carneiro Mendes

Fortaleza - Ceará - Consultoria/extensão rural
postado em 19/10/2013

É  preciso cuidado com certas afirmações e otimismo exagerado.
Uma Unidade Animal (UA) de bovinos é igual a 450 kgPV.  Uma UA de caprinos ou ivinos varia entre 240 a 280 kg/PV.
Se a UA de caprinos ou ovinos em 270 kg/PV na área onde colocarmos uma UA de bonino poderemos colocar apenas 6 caprinos ou ovinos de 45 kg/PV, ou seja
45 x 6 = 270 kg/PV.

Yara Araujo

Fortaleza - Ceará - Estudante
postado em 21/10/2013

Muito bem dito, Dr. Pedro.

É preciso enaltecer a cadeia produtiva da ovinocaprinocultura, mas para que ela possa crescer em base sólida, devemos, SEMPRE, proporcionar o crescimento de forma  bastante responsável!

washingtonserafim@yahoo.com.br

Salvador - Bahia - Consultoria/extensão rural
postado em 21/10/2013


A máxima eficiência econômica no semiárido somente com CAPRINOS E OVINOS na pecuária e IRRIGAÇÃO na agricultura.

francisco de assis de carvalho pires

Mirandiba - Pernambuco - Ovinos/Caprinos
postado em 22/10/2013

As afirmações do sr.Pedro Mendes são corretas ,isto devido a questões metabólicas.Discordo quando no comentário da gestação de Ovinos/Caprinos ,a mesma seja de 2 a 3 filhotes.

Luciano Ferreira dos Santos

Mirante - Bahia - Consultoria/extensão rural
postado em 22/10/2013

VAMOS PARA A PRÁTICA E FAÇAM UMA PESQUISA NO CAMPO, O QUE OS PRODUTORES DE GADO BOVINO ESTÃO PASSANDO, IMPLORANDO PARA VENDER SEU GADO A PRAZOS ABSURDOS E PREÇO INJUSTO, ENQUANTO QUE OS PRODUTORES DE OVINOS E CAPRINOS É SÓ ABRIR  A BOCA E A CRIAÇÃO TÁ VENDIDA E DIGAMOS DE PASSAGEM, COM PREÇO JUSTO E PAGAMENTO A VISTA, SEM CONTAR QUE A CRIAÇÃO MIÚDA PASSOU A SECA E SE MANTEVE EM CONDIÇÕES FÍSICAS MUITO MELHORES EM RELAÇÃO AO BOI...

Pedro Alberto Carneiro Mendes

Fortaleza - Ceará - Consultoria/extensão rural
postado em 22/10/2013

Luciano,

Suas afirmações com a facilidade de comercialização são corretas, pois os valores pagos por ovinos e caprinos geralmente são muito menores do que para pagar um
boi.
Por ser uma moeda viva, com valor suficiente para pagar  suas pequenas despesas
a atividade existe em praticamente 100% das pequenas propriedades.

Pedro Alberto Carneiro Mendes

Fortaleza - Ceará - Consultoria/extensão rural
postado em 23/10/2013

Após a observação do Luciano, sobre a gestação voltei a leitura da matéria e concordo com a observação.
Observando os índices de produção divulgados pela Agenda do Produtor Rural do Banco do Nordeste, praticamente iguais aos divulgados pela EMBRAPA - Caprinos
a produção de cordeiros e de 1,56 cordeiro por matriz ano e não 4 a 5 como diz o
artigo.
O índice de 1,56 cordeiros por matriz ano seria obtido, assim.

Fertilidade ............................................ 80,00 %
Parto matriz (3 em 2 anos)                   1,20
Prolificidade (borrego por parto)         1,30
Cordeiro matriz ano.............................  1,56

Ainda que fosse atingido 100 % de fertilidade o total de cordeiros produzidos seria de
apenas 1,95 cabeça matriz ano.

É importante observar que não considerei a mortalidade de cordeiros que gira em média 10 %

Romualdo Martins De Paula

Uberlândia - Minas Gerais - Indústria de insumos para a produção
postado em 23/10/2013

Bom dia amigos, gostaria de mais informações das associações, sindicatos rurais de vocês ai no nordeste Brasileiro. Informações como Telefone de contato, email, site etc...Tanto de caprinos, bovinos e ovinos, No mês de Novembro/13 estarei fazendo um levantamento de mercado em todos os estados do nordeste, sobre a realidade atual que a seca vem lhes prejudicando tanto. Temos uma empresa no seguimento de nutrição animal e pretendemos abrir o mercado em toda essa região do país. Ficarei muito grato com a colaborações dos amigos produtores rurais do nordeste Brasileiro.
Temos uma preocupação social muito grande com a realidade de todos vocês. Forte abraço a todos e fico no aguardo.
Att.
Romualdo Martins
034-99680037

Pedro Alberto Carneiro Mendes

Fortaleza - Ceará - Consultoria/extensão rural
postado em 25/10/2013

Romualdo

Alguns e-mails para contato:

antoniojosimeire@bol.com.br

Araguaia 2007@gmail.com

caprileice@hotmail.com

marceloviana@yahoo.com.br

Aconselho ainda os contatos com as EMBRAPAs - Caprinos e Meio Norte

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade