Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Pedro Arraes é reconduzido à Presidência da Embrapa

postado em 17/08/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O pesquisador Pedro Antonio Arraes Pereira foi reconduzido ao cargo de presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Mapa. A recondução foi publicada ontem (16/08) no Diário Oficial da União.

Pedro Arraes assumiu o primeiro período de gestão à frente da Embrapa no dia 7 de julho de 2009. Entre as atividades realizadas nos últimos três anos, ele destaca a reestruturação da inteligência estratégica da Empresa, com a criação do Programa Agropensa, que criou um "núcleo de pesquisadores que estão trabalhando para produzir conhecimentos e estratégias sobre assuntos que poderão trazer impactos para a agricultura do futuro".

Na mesma linha, ele também considera um ponto positivo da atuação da Diretoria Executiva a reformulação da gestão da carteira de projetos, numa lógica de portfólios - conjuntos de projetos afins em temas de grande importância estratégica. Pedro Arraes também destaca a consolidação de novas estruturas da área de TT, com a formação do Departamento de Transferência de Tecnologia e a estruturação da Secretaria de Negócios e da Embrapa Produtos e Mercado.

Ele cita ainda como realização importante da sua gestão a reestruturação da Fundação Eliseu Alves - a Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica, antiga Funcredi. A entidade atua em parceria com a Embrapa, no apoio a pesquisas científicas e tecnológicas.

Infraestrutura

A conclusão das atividades do Programa de Fortalecimento e Crescimento da Embrapa - PAC Embrapa, que possibilitou a inauguração de cinco novos Centros de Pesquisa também marcaram a gestão da Embrapa nos últimos três anos. Entre as obras, Pedro Arraes destaca a inauguração dos laboratórios multiusuário de referência.

O investimento na recuperação das estruturas destinadas à preservação dos recursos genéticos, fundamentais para a pesquisa agropecuária (Bancos Ativos de Germoplasma-BAGs) é outro ponto positivo apontado por Pedro Arraes nos últimos três anos de gestão.

Atuação internacional

A publicação do novo estatuto da Embrapa, que autoriza a atuação e operacionalização da Empresa no exterior, é um marco importante da gestão da Diretoria Executiva da Embrapa, segundo Pedro Arraes.

A consolidação da cooperação nos pilares científico, técnico e de negócios é um ponto destacado por Pedro Arraes nos últimos três anos. Em termos de cooperação científica, o presidente da Empresa citou evolução dos Laboratórios Virtuais da Embrapa no Exterior (Labex). Ele ressaltou a abertura de duas novas representações do Labex Europa, no Reino Unido e na Alemanha, e a implantação do Labex Coréia, do Labex China e do Labex Japão, em fase de implantação. Na vertente de cooperação técnica, Pedro Arraes mencionou a mudança estratégica adotada pela Embrapa, de incentivar a elaboração de projetos estruturantes, em parceria com a ABC. O presidente da Embrapa também destacou a criação da Plataforma Brasil/África e Brasil/LAC (América Latina e Caribe), como novos instrumentos de cooperação.

Futuro

Consolidar processos que permitam à Embrapa responder com mais eficiência e mais agilidade as demandas da sociedade é uma das prioridades de Pedro Arraes em sua segunda gestão. Para isso, ele aposta no fortalecimento de um programa de desburocratização dos processos da Empresa e em um novo paradigma na gestão de pessoas, que busque a formação de novas lideranças.

A consolidação dos portfólios de projetos, ampliando esse instrumento para outras iniciativas de pesquisa, é outra prioridade da próxima gestão, segundo Pedro Arraes. Ele também pretende promover um exercício que vai muito além dos três anos do novo prazo de gestão.

A ideia, batizada com o nome 40 + 20, é realizar uma análise de longo prazo sobre a agricultura brasileira e o papel que a Embrapa deverá desempenhar no futuro. O nome é uma alusão ao quadragésimo aniversário de fundação da Embrapa, em 2013. "Vamos fazer um questionamento tentando obter informações, de forma organizada, baseadas em experiências internas e externas, no sentido de moldar alguns pilares que a Embrapa deveria seguir no futuro", explica.

As informações são da Embrapa, resumidas e adaptadas pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade