Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Pesquisadores do IZ e APTA Regional abordam novas tecnologias em palestras na Feinco

postado em 16/03/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Durante o "Workshop sobre produção sustentável de ovinos", coordenado pelo Instituto de Zootecnia (IZ/APTA), a secretaria de agricultura e abastecimento, Monika Bergamaschi, falou aos participantes sobre as possibilidades de trabalhar pastagens com bom manejo zootécnico, com incremento de genética para alavancar a ovinocultura e caprinocultura. "Aproveitem e interajam com os nossos pesquisadores e institutos. O nosso interesse é o bem estar de nossos produtores e o desenvolvimento do agronegócio, colocando o serviço da SAA a disposição de todos", salientou Monika.

O workshop também contou com a presença do secretário-adjunto Alberto Macedo e do Diretor da APTA Regional Ribeirão Preto, José Ramos Nogueira.

Workshop

A pesquisadora do IZ Karina Batista que iniciou o dia com o tema "Consórcio de milho safrinha e plantas forrageiras" abordou a sustentabilidade no processo produtivo do alimento para os animais, buscando através do consórcio, entre o milho safrinha e plantas forrageiras, garantir palha ao sistema de plantio direto e produzir, principalmente, pastagem na entressafra.

Segundo Karina, atualmente há uma busca por sistemas sustentáveis e o consórcio proporciona melhorias na qualidade do solo - física, química e biologicamente -, ganho de peso animal e aumento de produtividade sem promover danos ao meio ambiente. "No sistema em que os produtores utilizam a sucessão soja no verão e milho safrinha no inverno, essa pratica contribui para a rotação de culturas, diminuindo a incidência de plantas invasoras, pragas e doenças, e aumentando a disponibilidade de nutrientes", ressaltou a pesquisadora.

A pesquisadora da APTA Regional Itapetininga, Cristina Maria Pacheco Barbosa, explanou sobre o "Sistema silvipastoril na ovinocultura: ferramenta para o desenvolvimento tecnológico". De acordo com a pesquisadora esse sistema agrega renda ao produtor através da introdução de árvores e bem estar aos animais através da sombra natural. "O animal confortável converte melhor a pastagem em produto comercializável", afirmou Cristina.

Com o tema "Manejo de pastagens: importância e reflexos no desempenho e bem estar dos ovinos", o pesquisador do IZ, Luiz Eduardo dos Santos, garantiu que um fator diferencial da ovinocultura sustentável e da convencional é a preocupação com a preservação ambiental através do uso cuidadoso e controlado dos insumos, evitando o desequilíbrio das condições ambientais. "A qualidade e segurança do produto final devem ser consideradas premissas fundamentais do empreendimento e devem ser avaliadas como a resultante das boas condições nutricionais, da higidez e do conforto ambiental do plantel, durante todas as fases do sistema de produção animal, desde a sua geração até o abate", detalhou Luiz Eduardo.

O tema "Programa de seleção de ovinos de corte", proferido pelas pesquisadoras da APTA Regional Ribeirão Preto Lenira El Faro e Claudia Cristina Paro de Paz, apresentou a proposta de um programa de avaliação genética de ovinos das raças Santa Inês e Morada Nova para o Estado de São Paulo. Segundo Lenira, o Programa mostrará a necessidade dos produtores realizarem o controle zootécnico dos animais em suas propriedades. "Os produtores irão receber informações genéticas de todos os animais da propriedade para realizar a seleção dos ovinos superiores dos rebanhos que serão utilizados como reprodutores e matrizes", ressaltou a pesquisadora Lenira. Para participar do Programa, o produtor deve entrar em contato com as pesquisadoras na APTA Ribeirão Preto e no Instituto de Zootecnia, em Nova Odessa (SP) com o pesquisador Ricardo Lopes Dias da Costa.

Já a pesquisadora do IZ, Cecília José Veríssimo explanou sobre o tema "Resistência a verminose no estado de São Paulo - Situação e perspectiva", alertando os participantes sobre a importância do controle da verminose. "Realizar teste de redução de OPG, anualmente; realizar manejo e alimentação corretos; eliminar indivíduos suscetíveis, selecionando animais mais resistentes; e utilizar o mínimo possível de vermífugo nos animais", citou Cecília. Ela ainda alertou aos técnicos e produtores que é fundamental "verificar a eficácia dos vermífugos que vêm sendo utilizados na propriedade", pelo menos uma vez ao ano.

As informações são da Assessoria de Imprensa do Instituto de Zootecnia (IZ), resumidas e adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade