Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Preço de commodities avança pelo segundo mês seguido

postado em 10/05/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O preço médio das commodities que causam impacto na inflação brasileira avançou 0,58% em abril em relação ao mês anterior, informou ontem o Banco Central (BC). Esse foi o segundo aumento consecutivo medido pelo Índice de Commodities Brasil (IC-Br) a partir dos preços das commodities convertidos para reais. Em março, a elevação havia sido de 2,67% na comparação com fevereiro.

Nos últimos 12 meses, entretanto, o índice apresenta queda de 5,21%. No acumulado do ano, o IC-Br subiu 0,79%.

Os três grupos que compõem o indicador do BC registraram aumento de preços. O grupo dos produtos agropecuários, composto por carne de boi, carne de porco, algodão, óleo de soja, trigo, açúcar, milho, café e arroz, apresentou aumento de 0,65% em abril na comparação com o mês anterior. No entanto, no acumulado do ano os produtos agropecuários recuaram 0,67%, e em 12 meses, registraram uma retração de 5,96%.

O preço das commodities energéticas, como o petróleo brent, o gás natural e o carvão, subiu 0,41% na passagem de março para abril, e 1,05% no acumulado dos quatro meses deste ano. Já em 12 meses, as commodities energéticas apresentam elevação de 2,48%.

As commodities metálicas, como alumínio, o minério de ferro, cobre, estanho, zinco, chumbo e níquel, tiveram a menor elevação em abril, de 0,28%. O grupo também registra alta no acumulado deste ano, de 7,05%. Em 12 meses, porém, o preço dos produtos metálicos mostrou um recuo de 8,87%.

Apesar da elevação, o IC-Br foi menos pressionado em abril do que o índice Commodity Research Bureau (CRB), que é considerado uma referência mundial para o mercado de matérias-primas. O CRB subiu 1,07% no mês passado. No acumulado do ano, ele apresenta alta de 3,18% e em 12 meses, foi registrada uma ligeira queda, de 0,06%.

As informações são do Valor Econômico, adaptadas pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade