carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Preços da carne ovina continuarão firmes em 2014

postado em 29/11/2013

4 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Os preços da carne ovina se fortalecerão devido a uma queda na oferta mundial do produto nos principais países produtores, incluindo o Uruguai, disse o consultor do Secretariado Uruguaio de Lã (SUL), Carlos Salgado.

“Todas as projeções de oferta de carne ovina para 2014 da Austrália, Nova Zelândia e Uruguai – os três principais exportadores mundiais – indicam que ocorrerá uma redução de oferta. Enquanto nos dois países da Oceania isso é um fato, a baixa no Uruguai, se acontecesse, seria por causa da mortalidade provocada pelo temporal que acometeu recentemente na região norte do país”.

A demanda por esse produto está em crescimento, principalmente porque a China está sendo o grande comprador dessa matéria-prima a nível mundial e estima-se que aumentará suas importações. “A China duplicou em pouco tempo o que importa e compra a grande maioria dos produtos que saem ao mercado. Compra carne com osso, carcaças, cortes e cada vez está mais ativa”.

O Brasil também se mantém muito demandante para esse tipo de carne, enquanto a Europa está se recuperando economicamente, provocando o aumento do poder aquisitivo de seus consumidores, o que está impulsionando as compras desse produto. Esses dois mercados estão sendo atualmente os principais importadores de cortes ovinos de maior valor e não parece, apesar do crescimento da China, que isso possa mudar em curto prazo, explicou o consultor do SUL.

Esse cenário está impactando fortemente os valores pagos pelos ovinos. Segundo a categoria, os preços estão mais de 20% acima dos registrados no começo de 2013, disse ele. A tonelada de carne ovina até a primeira quinzena desse mês ficou em média US$ 3.877, segundo dados do Instituto Nacional de Carnes (INAC). Em 2004, quando se abriu o mercado da China, quase não se faziam vendas e hoje esse país é quem está mobilizando as compras.

Por outro lado, o presidente do SUL, Joaquín Martinicorena, disse que vê um cenário onde o Uruguai terá um grande leque de opções para colocar sua oferta. Martinicorena estimou que conseguiriam valores iguais ou melhores que os atuais.

A reportagem é do El País Digital, traduzida e adaptada pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Lourenço Salbego

Luziânia - Goiás - Revenda de produtos agropecuários
postado em 03/12/2013

Mto bom e favoravel o cenario para carne brasileira e pra nós produtores de ovinos. Lamentando a perca de animais pela tragedia dos nossos hermanos uruguaios, mas como tudo no setor do agronegocio depende da quebra de safra de outros paises para obtermos melhores preços, está tudo valendo! Abraço.

Izac Leopoldino Júnior

Lagoa da Prata - Minas Gerais - Pesquisa/ensino
postado em 05/12/2013

Ter a China como consumidor crescente a nível mundial de carne ovina é uma ótima notícia! Eu também acredito num aumento de preços na carne do cordeiro aqui no Brasil, afinal nosso país importa grande parte da carne consumida. Além de ser um estímulo a mais para toda a cadeia da ovinocultura nacional expandir suas produções.

patrico mendes

Lagoa Vermelha - Rio Grande do Sul - Produção de ovinos de lã
postado em 08/12/2013

Muito bom esse ano os precos da lã e do cordeiro isso faz com que o pequeno produtor almente seu rebanho e que surjao novos criadores de ovinos um bom incentivo.abracos

Luis Fernando Rangel

Pratânia - São Paulo - Revenda de produtos agropecuários
postado em 01/03/2014

O mercado do cordeiro está se firmando muito rápido e isso é excelente para o brasil, tendo em vista que ainda estamos importando carne dos Hermanos para tentar suprir nosso mercado interno, infelizmente muitos criadores não vê a atividade como um excelente investimento de curto prazo, é uma das maiores dificuldades enfrentadas de buscar criadores que invistam seriamente na atividade.Se buscarmos a aumentar mais nossa produção e conseguirmos suprir o mercado interno que é bastante amplo, poderíamos pensar em até buscar essa fatia que ira estar disponível para nossa carne, sei que ainda estamos engatinhando para essa fatia mas se perseverarmos com certeza chegaremos lá. abraços

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade