Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Preços prejudicam retornos de produtores de cordeiro da Nova Zelândia

postado em 04/05/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A demanda por pernas de cordeiro da Nova Zelândia permaneceu forte nessa Páscoa, mas os preços recebidos pelos produtores por seus cordeiros caíram. O diretor executivo do Alliance Group, Grant Cuff, disse que o retorno das vendas internacionais de carne de cordeiro fresca da Nova Zelândia na Páscoa foi positivo. Entretanto, os preços aos produtores caíram, à medida que os consumidores internacionais evitaram os cortes mais caros de carne.

As pernas de cordeiro resfriadas venderam bem, mas as congeladas foram menos demandadas pelos clientes internacionais, disse ele. "As pernas de cordeiros são produtos essenciais que estão indo bem nesse momento, os preços dos resfriados estão bons". Ele disse que os cortes congelados podem ter sua compra adiada, já que podem ser armazenados por mais tempo. "As pessoas veem as pernas congeladas como item de menor qualidade do que os produtos frescos".

As pernas de cordeiro representaram 75% das carnes frescas exportadas aos mercados nessa Páscoa e 60% das pernas foram enviadas à Grã-Bretanha. Apesar de os produtores obterem preços menores por seus cordeiros, eles ainda estão maiores do que quando Cuff começou como diretor executivo da empresa, disse ele.

O verão seco em Southland fez com que os criadores enviassem muitos cordeiros para o abate mais cedo do que o habitual e dificultou que se encontrassem cordeiros para a Páscoa, especialmente com a queda programada de preços, disse ele. "Tivemos uma precipitação real de produtos quando as pessoas estavam preocupadas com a seca e, então, quando choveu forte, os volumes caíram pela metade em uma semana".

Os preços dos cordeiros estão cerca de 6% menores nessa estação devido ao alto dólar neozelandês, disse ele. "Se a moera estivesse igual estava no começo da estação, poderíamos pagar NZ$ 6 a NZ$ 10 (US$ 4,87 a US$ 8,12) por cordeiro hoje. Com o aumento do preço do cordeiro de NZ$ 55 (US$ 44,68) para NZ$ 110-120 (US$ 89,37-US$ 97,49), a taxa de câmbio no mesmo período também tem sido significante, de forma que dobramos o valor do cordeiro e absorvemos uma desvalorização significante no câmbio".

Ele visita diferentes mercados internacionais duas vezes por ano e ficou duas semanas no Canadá, França, Bélgica e Inglaterra no mês passado, notando uma falta de confiança econômica em todos os lugares. "Existe incerteza no mundo e isso está em todo o mundo, em todos os locais que visitei. A Alemanha não está tão ruim quanto a Grécia, o Reino Unido está duvidoso. Os Estados Unidos acham que estão começando a se sentir um pouco melhor, mas talvez depois da eleição, eles não se sentirão assim, nós não sabemos".

Entretanto, ele permaneceu positivo sobre o futuro do mercado de carnes. "Ainda acho que a posição geral da carne vermelha da Nova Zelândia é boa. A China ainda está indo bem. O crescimento na Ásia virá, porque gastamos muito tempo lá e queremos tentar novas coisas. Continuaremos crescendo, enviaremos menos para o Ocidente e mais para o Oriente".

Em 25/04/12 - 1 Dólar Neozelandês = US$ 0,81248
1,23033 Dólar Neozelandês = US$ 1 (Fonte: Oanda.com)

A reportagem é do The Southland Times, traduzida e adaptada pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2022 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade