Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Produtores recebem informações sobre os novos desafios da cadeia de produção de ovinos em Dourados/MS

postado em 30/05/2014

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O cenário de desenvolvimento genético e tecnológico e as novas demandas da cadeia produtiva de ovinos centralizaram os debates da a 7ª edição do Simpósio de Ovinocultura, realizado nesta quinta-feira (29) durante a 50ª Expoagro. Promovido pela Unigran e pelo Sindicato Rural de Dourados, o simpósio faz parte do projeto de Desenvolvimento da Ovinocultura em Mato Grosso do Sul e tem se consolidado como um importante mecanismo de capacitação diante da necessidade de qualificação dos agentes envolvidos na ovinocultura.

Neste ano, o simpósio debaterá o tema “Cadeia produtiva da ovinocultura – Planejamento e Gerenciamento da Produção”. O evento foi aberto às 8h com a palestra “Utilização da Ultrassonografia na tomada de decisão no melhoramento e abate”, ministrada pelo doutor em zootecnia e pesquisador do CNPq, Hélio de Almeida Ricardo, e pela mestre em Zootecnia e doutora em Nutrição e Produção Animal, Franciane Barbieri Dias Senegalhe.

Os pesquisadores falaram sobre a importância da ultrassonografia para o planejamento da produção de ovinos. Conforme Ricardo, com exame ultrassonográfico é possível realizar com precisão o diagnóstico de gestação precocemente, quantificar o número de fetos e muitas vezes realizar a sexagem fetal. “A ultrassonografia traz vantagens, é o único exame que detecta a prenhez das ovelhas em apenas 17 dias sem causar nenhum mal ao feto”, destacou.

Já Franciane destacou que a identificação antecipada das fêmeas prenhas é importante para a gestão das propriedades, pois quando detectadas o responsável pela criação pode separar as prenhas do lote e assim diminuir a quantidade de fêmeas na área. Isso facilitará o reprodutor encontrar as ovelhas que estão no cio. Através desses métodos é possível agilizar a organização da propriedade e também permitir o abate de animais “vazios”. “A ultrassonografia também permite um melhor manejo nutricional, tendo em vista que, a alimentação de fêmeas prenhes deve ser diferenciada das fêmeas vazias”.

Custos de produção

Em seguida, a zootecnista e doutora em Nutrição e Produção Animal, Camila Raineri, ministrou a palestra com o tema “Custos de Produção na Ovinocultura”. Em sua fala, a pesquisadora destacou que a produção ovina brasileira mostra-se atualmente muito refém dos valores de commodities que o mercado oferece. Diferente das cadeias de carnes brasileiras, o produtor de ovinos não foca o investimento para um retorno financeiro e acaba subutilizando o potencial de produção do ovino, acarretando maiores custos, assim como vendas picadas durante o ano.

Segundo ela, o produtor deve sempre ter em mente que o investimento pecuário deve ser tratado com seriedade para que haja um retorno financeiro. Dessa forma, faz-se necessário conhecer e conseguir trabalhar com a reprodução dos ovinos, buscar melhores épocas de pastagens e consequentemente valores menores dos grãos. “O cenário brasileiro reflete valores diferenciados para época de águas e seca e as cadeias de produção cárneas trabalham suas compras nesse sentido, buscando o melhor fechamento para animais confinados ou suplementados em campo”, disse.

Abate

Fechando o ciclo de palestras do simpósio, o pesquisador José Carlos da Silveira Osório abordou o tema “Critérios para abate do animal e a qualidade de carne”. Osório informou aos criadores sobre a importância de eles serem mais criteriosos na seleção dos animais para o abate, na estocagem dos produtos e insumos utilizados na criação, na higiene das operações de abate, na comercialização e apresentação dos produtos e no abate propriamente dito.

Conforme ele, o pré-abate e a insensibilização são momentos importantes no processo de produção, tendo em vista que são as etapas mais estressantes aos animais. Tal estresse pode comprometer, de forma significativa, a qualidade da carne.

Após o ciclo de palestras, o simpósio ofereceu aos produtores e estudantes presentes a possibilidade de participar de dois minicursos, que abordaram temas como “Utilização do Ultrassom em ovinos” e “Exterior e Julgamento”.

As informações são da Assessoria de Imprensa do evento, adaptadas pela Equipe FarmPoint.
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade