Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Produtos orgânicos ganham cada vez mais espaço

postado em 20/08/2008

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O mercado de produtos orgânicos ganha cada vez mais espaço nos carrinhos de clientes de supermercados brasileiros. A avaliação é do estudo "Hábitos e comportamento do consumidor", da Latin Panel, maior empresa de análise sobre consumo da América Latina, que acompanha ininterruptamente as escolhas em 8,2 mil domicílios em todo o país.

Em 2007, o estudo observou que 38,5% dos supermercados brasileiros tinham em suas gôndolas produtos cultivados sem agrotóxicos ou adubos químicos. E que 47,8% das famílias brasileiras adquiriram pelo menos um produto orgânico em lojas de auto-serviço. Como é de se imaginar, a adesão é maior nas classes A e B. O painel apontou que 75,9% das famílias nessa faixa compraram orgânicos pelo menos uma vez em 2007. Mas os outros segmentos também embarcaram na moda: 49,1% na classe C e 39,5% nas D e E.

"Nas classes C, D e E, quem faz as compras é a dona de casa, que se preocupa com a saúde da família", nota Martinho Paiva Moreira, titular do D'Avó Supermercados, rede com cinco lojas na zona leste paulistana e dois hipermercados em Suzano e Mogi das Cruzes (SP), que oferecem orgânicos desde 2000 para uma clientela de menor poder aquisitivo.

Como vice-presidente de comunicação da Associação Paulista de Supermercados (Apas), Moreira acentua que a ascensão dos orgânicos nas redes varejistas foi favorecida pelo aumento da renda dos consumidores. E ainda não foi afetada pelo avanço nos preços dos alimentos, que atinge sobretudo commodities, como grãos.

Não são os atributos ecologicamente corretos, mas a identificação com a promoção de saúde que atrai consumidores para os orgânicos, diz Moreira. Segundo ele, o preço mais elevado de alguns itens em relação ao de seus similares produzidos com agrotóxicos não afeta muito o mercado. Mas isso vale para hortifrutícolas, já que alimentos processados e grãos orgânicos, como soja, trigo e arroz, ainda são raridade no país.

"Estamos atrasados pelo menos dez anos com relação à Europa, que dispõe de uma variedade bem maior", opina o vice-presidente da Apas, ao apontar, como outro gargalo para a expansão mais pronunciada, a dificuldade de discernir entre diet, light, funcional e orgânico.

Segundo o Ministério da Agricultura, o Brasil ocupa mais de 800 mil hectares com a produção orgânica. O Centro Oeste destaca-se na pecuária, com 91% das pastagens certificadas e 65% da área para a criação animal. O Sul é campeão em espaço para olerícolas orgânicas (55%), sobretudo alface, cenoura, tomate e couve.

As informações são de Silvia Czapskido, jornal Valor Econômico.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

APARECIDO EDER GRESPAN

Cabo Verde - Minas Gerais - Instituições governamentais
postado em 21/08/2008

Creio que o mundo caminha para uma mudança importante, aonde nós seres desse planeta vamos buscar mais a nossa essência. Dentro dessa essência encontra-se a preservação do planeta como um todo, visando a sobrevivência dos nossos descendentes e a busca por uma agricultura que preserve também o planeta e a saúde dos seus habitantes com alimentos ecológicamente corretos e uma vida vontada ao aperfeiçoamento do homem, que nasceu para viver plenamente uma vida fabulosa em todos os sentidos da sua existência.

Juntos podemos fazer essa diferença buscando sempre novas alternativas em todos os campos. Isso tudo deve ser levado a sério e podemos realmente fazer alguma coisa.

Aparecido Eder Grespan

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade