Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Programa Alagoas Mais Ovinos já registra 21% de crescimento do rebanho

postado em 12/09/2011

4 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Em menos de dois anos após o repasse dos primeiros animais aos agricultores, o Programa Alagoas Mais Ovinos já registra 21% de crescimento do rebanho. Segundo o levantamento, 1.113 animais de qualidade genética superior nasceram a partir das matrizes que estão com os agricultores, cedidas por meio de um contrato de empréstimo.

Ainda de acordo com o levantamento da Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário (Seagri) e do Arranjo Produtivo Local (APL) de Ovinocaprinocultura no Sertão, 96% das 740 famílias que receberam os animais foram visitadas e georreferenciadas. "Elas fazem parte de um processo contínuo de monitoramento. Foi criado e implantado um software para promover o acompanhamento técnico e socioeconômico do programa, contendo ficha de cadastro, evolução do rebanho por família, gerenciamento físico financeiro, ficha de visita dos técnicos, dos veterinários, auditorias e relatórios analíticos. Estamos acompanhado toda a evolução do Alagoas Mais Ovinos", detalhou o gestor do programa pela Seagri, o zootecnista Luciano Barros.

Segundo Barros, algumas das famílias incluídas no programa já possuem animais na quantidade suficiente para fazer a devolução ao Governo do Estado mas, como o prazo de carência é de dois anos, elas não podem fazer essa devolução agora. "Cada família beneficiada recebeu sete ovelhas, assim, depois de dois anos, e dentro de até cinco anos, elas devem devolver sete fêmeas, desde que sejam crias das matrizes que receberam", salientou Luciano Barros. "Esses animais serão recolhidos e repassados para outras famílias, que não foram contempladas na primeira fase do programa", concluiu o gestor. De 2009 até o início de 2011, o Programa Alagoas Mais Ovinos repassou mais de 5.300 animais a agricultores do Sertão e Bacia Leiteira.

Além de ovelhas mestiças de Santa Inês e reprodutores puros de origem, foram repassadas cabras e bodes, para estimular a produção de leite em algumas comunidades. As famílias incluídas no programa foram selecionadas pelo APL e pelas Prefeituras Municipais, que formalizaram um Termo de Adesão ao Programa, segundo critérios definidos em edital de credenciamento publicado na imprensa oficial. "Outro objetivo do Alagoas Mais Ovinos é a melhoria genética dos animais, o que já está ocorrendo. Com isso, o agricultor poderá aumentar seu rebanho mais rápido, produzir carne, couro, leite, abastecer os abatedouros, e diversificar sua produção. Tudo isso visa à inclusão sócio-produtiva das famílias beneficiadas", esclareceu o secretário de Estado da Agricultura, Jorge Dantas.

"Consideramos que o Programa de Melhoramento Genético Contínuo da Ovinocaprinocultura, que deu origem ao Alagoas Mais Ovinos, está cumprindo com seus objetivos, significando uma efetiva evolução da capacidade de gerar renda e segurança alimentar para um número considerável de famílias alagoanas", complementou o secretário.

As informações são da Agência Alagoas, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Gláucio José Araujo Vaz

Recife - Pernambuco - Produção de leite
postado em 13/09/2011

Programa muito bem feito com participação de toda cadeia produtiva vai tormar o estado um exportador de produtos

José adevan alves de almeida

Cacimbinhas - Alagoas - Produção de caprinos de corte
postado em 17/09/2011

gostaria de saber como fazer, para participar desse projeto , aqui na minha ciade

Natalino Rasquinho - Zootecnista UNEAL

Nova Odessa - São Paulo - Mestre em Produção Animal Sustentável - IZ
postado em 18/09/2011

Parabéns aos órgãos envolvidos neste projeto no estado de Alagoas, esta iniciativa vem de encontro aos princípios da agência da ONU para a Alimentação e Agricultura (FAO) em produzir mais alimentos até 2050. A iniciativa da FAO é "Produzir mais com menos", ou seja, a FAO espera que até 2050 os países em desenvolvimento dupliquem sua produção para atender a demanda mundial. E o principal foco do órgão são os pequenos produtores, responsáveis, atualmente por grande parte da produção de alimentos no mundo.

Claro que a iniciativa do governo alagoano promoverá melhorias e desenvolvimento local, mas certamente chegará um momento de escoar o excedente, contribuindo para o crescimento do nordeste e porque não do país.   

É importante ressaltar que a comercialização do leite é uma questão importantíssima para que o projeto tenha resultados satisfatórios.

Natalino Rasquinho - Zootecnista UNEAL

Nova Odessa - São Paulo - Mestre em Produção Animal Sustentável - IZ
postado em 19/09/2011

Olá José Adevan, se bem recordo, Cacimbinhas é atendida pela unidade da Secretaria da Agricultura de Palmeira dos Índios, lá você terá as informações necessárias a respeito do projeto. São 7 animais fêmeas para cada família cadastradas no programa, portanto, quanto antes você se cadastrar mais cedo terá os animais para iniciar sua produção. Verifique com o órgão responsável (SEAGRI) que represente seu município.

Boa Sorte !!

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade