Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Projeções do MLA para a indústria ovina australiana

postado em 11/02/2014

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

As Projeções para a Indústria Ovina em 2014 do Meat and Livestock Australia (MLA) mostram uma crescente demanda de exportação para carne ovina e ovinos vivos, um menor dólar australiano e fortes preços globais, combinados com uma oferta mais escassa de carne de cordeiro e carneiro, apontando para uma melhora nos preços dos cordeiros e ovinos adultos em 2014.

Após oferta e exportações recordes de carne ovina em 2013, os volumes gerais projetados de produção deverão retrair em 2014. Apesar de a seca e as temperaturas quentes em grande parte de importantes regiões produtoras de ovinos da Austrália deverem ser sentidas nas ofertas na primeira metade de 2014, o impacto das condições climáticas nas taxas de parição de cordeiros nesse ano será crucial. O rebanho ovino australiano deverá sentir o impacto dos abates recordes de cordeiros e aumento dos abates de ovinos adultos em 2013, com queda de 3%, para 72 milhões de cabeças em 30 de junho de 2014. Como resultado, os abates de cordeiros e a oferta também deverão se estreitar em 2014, para cerca de 21 milhões de cabeças (queda de 4%) e 440.000 toneladas (queda de 4%) com relação ao ano anterior, respectivamente.

Então, embora a oferta de carne de cordeiro australiana em médio prazo deva depender das condições climáticas, a demanda por carne de cordeiro nos mercados internacionais parece muito clara. Com um dólar australiano devendo ser comercializado a um valor menor, a menor competição com a Nova Zelândia e a expansão da demanda em importantes mercados, a carne ovina australiana deverá ser muito demandada em 2014.

A combinação de China, Oriente Médio e Estados Unidos continuará a tomar a maioria dos envios australianos durante 2014, devendo ser responsável por quase 70% das exportações totais de carne de cordeiro. Os volumes ao Oriente Médio deverão aumentar 2% em 2014, para 61.000 toneladas, seguidos por China (aumento de 10%), para 43.000 toneladas, e Estados Unidos (aumento de 7%), para 42.000 toneladas.

A previsão é de uma oferta significativamente menor de carne de carneiro em 2014, como resultado dos grandes abates de ovinos adultos em 2013, que provavelmente verá as exportações totais de carne de carneiro em 2014 se contraírem em 36% com relação ao ano anterior, em 110.000 toneladas, com todos os mercados pressionados. Os dois principais mercados de carne de carneiro, China e Oriente Médio, deverão ficar com a maioria das vendas australianas em 2014, representando juntos 74% das exportações totais de carne de carneiro.

O mercado doméstico australiano (ainda o maior e mais valioso mercado de carne de cordeiro da Austrália) deverá sentir o principal impacto da menor oferta, com o consumo doméstico devendo declinar 8,3%, para 193.000 toneladas em 2014. Além disso, o mercado doméstico poderá sentir um impacto maior nas ofertas e nos preços varejistas, ou se a oferta estreitar mais do que o esperado, ou se as condições de exportação se fortalecerem ainda mais.

Dada a forte previsão de exportações e previsão de eventuais ofertas mais estreitas, todos os sinais apontam para uma melhora nos preços da carne de cordeiro em 2014. Entretanto, a qualidade dos cordeiros disponíveis será em grande parte dependente de condições climáticas melhores, permitindo que os produtores terminem seus cordeiros para cumprir com as especificações de mercado.

A reportagem é do Meat and Livestock Australia (MLA), traduzida e adaptada pela Equipe FarmPoint.
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade