Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Que doença é essa?

postado em 10/02/2012

10 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O produtor de ovinos de Santa Rita de Caldas/MG, Davi Pottes, enviou uma carta para o Fórum Técnico de Sanidade do FarmPoint com a seguinte questão:

"Estou tendo um problema com alguns borregos da minha propriedade. Eles ficam com a perna traseira levantada. A princípio pensei que fosse somente um animal (achei que poderia ter ocorrido uma briga entre eles e consequentemente ele estava machucado) mas decorrido um tempo verifiquei que isso está ocorrendo em vários animais. Agora são oito no total e eu percebo que isso está ocorrendo somente nos pequenos e não é briga, pois eu fiquei observando.

Eles ficam com a perna traseira esquerda levantada e não apoiam mais no chão. Estão comendo normalmente, enfim, continuam com a mesma rotina. Apliquei dexametasona e B1 e verifiquei que alguns melhoraram, mas outros não.

Alguém sabe me dizer que doença é esta e como ela pode ser tratada?


Equipe FarmPoint

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Rogerio Faria

Jataí - Goiás - Inspetor da ABQM e ABCPaint / Consultoria Genética
postado em 10/02/2012

Prezado Compnaheiro: Gostaria de saber que tipo de volumoso você está fornecendo para os seus animais? Tenho verificado que ultimamente o pessoal està utilizando fornecer para os animais o capim napier "roxo" e isto em alguns animais como potros e tambèm bezerros jà apresentou sintomas semelhantes. Devemos verificar que nem sempre o que se agrada aos olhos é bom para os animais. Acredito que o surgimento deste tipo de capim nessa coloração é espontâneo e carece de pesquisas para verificar o que o mesmo esta causando. Acredito que se for este volumoso que esta sendo fornecido pode ser um fator anti-nutricional. Experimente fazer aplicações de vitamina B12 ou citoneurin 5000, consegui reverter alguns casos semelhantes com esse tipo de medicamento. Experimente verificar se mudando esses animais para uma pastagem de gramíneas do gênero Cynodon (grama-estrela, coast cross, grama seda para ver se o quadro clínico se inverte ou cessa esse problema. Gostaria de ter retorno sobre isso. Obrigado! Prof. Rogerio Faria, IF-Brasilia, Campus Planaltina-DF.

André Luiz Cokely Ribeiro

Descalvado - São Paulo - Indústria de insumos para a produção
postado em 10/02/2012

Prezado Davi
Se a claudicação (estar mancando) for de apoio, ou seja, o animal ao andar "troca" ou encurta o passo no apoio, o problema pode estar nos cascos e/ou articulações médias e distais. Caso ao andar a claudicação é de elevação, ou seja, quando o membro sai do solo para fazer o passo, este se torna desconfortável e geralmente mais "longo" passa-se a suspeitar de alguma contusão e/ou problemas da musculatura ou de articulações superiores, ou ainda de doenças do sistema nervoso, quando há sinais de incoordenação motora. O correto é consultar um veterinário para que se diagnostique o problema com exatidão, o que fará partirmos para um tratamento preciso, com resultados rápidos e custos mais baixos, além de instituir medidas para profilaxia. Tendo o diagnóstico, podemos discutir os tratamentos, ok.

edimara souza

Umuarama - Paraná - Produção de gado de corte
postado em 10/02/2012

Já vi em bezerros. É clostridiose. Creio que carbuncúlo sintomático. Mas não sou do ramo, apenas pequena proprietária.

antonio joao bassora

São José do Rio Preto - São Paulo - Trader
postado em 10/02/2012


ola boa tarde! Eu sou Antonio J. bassora e trabalho com consultoria de vendas em protutos para tratamentos de grandes e pequenos ruminantes, em sao jose do rio preto.
em uma simples pesquisa no  google,  pude perceber que o criador ai esta tendo problemas com os seus borregos. Eo primeiro animal a apresentar esse tipo de problema foi Dolly, sendo ela uma especie de artrite e é degenerativa, mas nao indicam nenhum tipo de tratamento.

Carolina Granconato de Abreu

Santo André - São Paulo - Estudante
postado em 11/02/2012

Sr Davi,

o problema citado pode se tratar de problema em articulação ou casco. O senhor deve perceber se as articulações traseiras, os jarretes não estão aumentados, pois poder ser algum tipo de bactéria causando artrite infecciosa. Também deve analisar os cascos dos animais, se estão íntegros, pode se tratar de alguma podridão de cascos. Além disso, existem espécies de nematódeos (vermes), dos quais as larvas penetram através dos cascos ocasionando dor e incômodo.
O mais correto seria uma consulta com um veterinário para examiná-los e observar o manejo e o local onde vivem.
Em caso de artrite, pode-se tratar com florfenicol por 7 dias e algum anti-inflamatório como flunixim meglumine (Banamine) por 3 a 4 dias.

José Aguerre

ooooooooo - São Paulo - Consultoria/extensão rural
postado em 11/02/2012

Lo primero es asefurarse de no haber aplicado un inyectable en la parte interna de esa pierna hace pocos días. Si es así seguramente sea una reacción al inyectable o encapsulamiento del mismo.
Si no es así y se repite en diferentes miembros, obsrvar si no hay presencia de llaga interdigital o absceso de dedo

LAZARO JOSE DA SILVA

Extrema de Rôndonia - Rondônia - Produtor Rural
postado em 19/02/2012

Grande Carolina Granconato, no nosso ponto de vista, voce acertou em cheio, já tivemos este mesmo problema aqui na Amazonia, região muito úmida, tratamos apenas com Banamine, quatro aplicações e pronto. Muitas vezes o médico vete-
rinário está longe, e se torna necessário recorrer aos outros criadores, estudantes
e consultores. O Farmpoint é hoje nossa ferramenta de contatos, parabéns >
Lazarojs / Criador de Ovinos - Extrema de Rondonia - RO

Jordana Andrioli Salgado

Curitiba - Paraná - Ovinos/Caprinos
postado em 23/02/2012

Prezado Davi Pottes
Há uma série de doenças que pode afetar o sistema locomotor de cordeiros, sendo necessário um exame mais detalhado.
De qualquer forma, é muito comum artrite  (inflamação das articulações) secundária à onfaloflebite (inflamação do umbigo). Essa doença ocorre quando o umbigo dos cordeiros não é devidamente curado e então bactérias entram pelas veias e artérias umbilicais e alojam-se em algumas partes do organismo animal, sendo comum nas articulações.
Averigue se está curando o umbigo corretamente dos animais, por 3 dias após o nascimento com iodo de 7-10%. Se essa for mesmo a doença, precisará fazer tratamento com anti-inflamatórios e antibióticos segundo recomendações de um médico veterinário.
Att

Jose Nilo Aquino

São Borja - Rio Grande do Sul - Empresário
postado em 29/02/2012

Prezado Davi Pottes
Todas às afirmações acima são válidas, mas fique atento ao menejo pois o cordeiro nessa idade é muito sensível e se o tratador ( ou criança ) por brincadeira ou necessidade não souber pegar o mesmo ( pegar de mau jeito pela pata traseira ) poderá lesionar o animal. Não é comum uma doença se manifestar apenas em uma das patas ( no caso a esquerda ) de um lote de animais. Seu tratador ( empregado)  por acaso não é canhoto ?

Valdair Miguel Dahmer

Itapiranga - Santa Catarina - Consultoria/extensão rural
postado em 07/11/2012

0lá seu Davi Pottes,estava lendo as possiveis causas desta suposta doença dos seus animais e percebo que são várias possiveis causas, como manejo eroneo de pegar o animal ou aplicar injeções,verificar os cascos,tipo de alimentação,terreno onde se encontran os animais pois a variações na resposta de imunidade de cada animal individual,cura do umbigo tem relação futura com artrite entre outras, por isso seria importante a avaliação de uma pessoa  com um conhecimento  especifico na area de ovinos para poder ajudar o senhor resolver estes problemas

.Abraço a todos e parabéns pelas contribuições.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade