Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

RN: dia de campo mostra resultados positivos no uso da ração de caju para pequenos ruminantes

postado em 05/03/2012

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O secretário de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca - Sape, Betinho Rosado, visitou o município de Cerro Corá, onde participou de um Dia de Campo. Na ocasião, ele acompanhou atividades no Povoado Albino, presenciando a conclusão e demonstração da unidade de engorda de ovinos com ração de caju, e na comunidade rural Sítio Novo, onde participou do lançamento de uma mini fábrica de castanhas.

A programação também contou com palestras para explicar aos agricultores daquela região sobre os resultados positivos alcançados pela ração de caju. Caprinos e ovinos que na estação seca do ano chegam a perder mais de 25 gramas de peso vivo por dia, quando suplementados com ração de caju de boa qualidade, podem ganhar acima de 150 gramas de peso vivo/dia, favorecendo e incrementando a sustentabilidade do semiárido.

A Emparn, em parceria com a Embrapa Agroindústria Tropical e Emater/RN, iniciaram em 2007 a condução de Unidade Técnicas Demonstrativas de Ração de Caju (UtdrCaju) como suplemento alimentar para cabritos e borregos.

Na composição e balanceamento da ração os ingredientes podem variar em função do custo da aquisição. Geralmente, a formulação exclusiva para ruminantes contém: resíduo de caju (50%), torta de algodão (15-20%), torta de coco ou resíduo de castanha de caju (14-19%), milho/sorgo (10%), farinha de osso (3%), ureia pecuária (2%) e sal de cozinha (1%). Essa formulação apresenta em torno de 22% de proteína bruta, 3.000 kcal/kg de energia bruta, 1,0% de cálcio e 0,7% de fósforo.

Em unidades conduzidas em Boa Vista (Severiano Melo), Melancias (Apodi) e Chafariz (Mossoró), os animais apresentam um ganho médio de peso vivo de 12 a 16 kg em 120 dias. A sustentabilidade do manejo é amplamente favorável para uma relação de preços em que a venda de um kg de carne caprino ovina equivale à aquisição de 14 kg de ração.

As informações são do Governo do Rio Grande do Norte, resumidas e adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Gláucio José Araujo Vaz

Recife - Pernambuco - Produção de leite
postado em 05/03/2012

Esta parte do caju e utilizado em que forma?

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade