Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

RN: Sinproleite diz que Programa do Leite do Estado está 'desacreditado e falido'

postado em 14/10/2013

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A crise na bacia leiteira do Rio Grande do Norte tem deixado os produtores rurais em alerta. Durante o lançamento da Festa do Boi 2013, em Parnamirim, o secretário estadual de Agricultura, Tarcísio Bezerra, disse que o programa precisará passar por alguns reajustes. Ele citou a definição do valor pago pelo litro de leite, que atualmente é de R$ 1,15 para o leite de vaca e R$ 1,60 para o leite de cabra, além da quitação do débito referente a produção, que está com duas quinzenas em atraso, como também a atualização do cadastro de beneficiários do programa.


Programa do Leite do Rio Grande do Norte enfrenta crise financeira (Foto: Assessoria/Famato)

“Precisamos sentar com os criadores e produtores para definirmos como esse pagamento será feito. Além disso, precisamos discutir como será feita o novo cadastro dos beneficiários, pois o programa não passa por ajustes há uns três anos”, disse o secretário.

O Programa do Leite foi criado para combater a mortalidade infantil na década de 1990 e chegou a uma produção diária de 600 mil litros de leite, atendendo cerca de 150 mil famílias. Atualmente, devido a crise ocasionada pela intensa seca e por problemas de gestão política, os produtores estão receosos quanto à longevidade do programa.

Segundo o presidente do Sindicato dos Produtores de Leite, Carne e Derivados do Rio Grande do Norte, Marcelo Passos, a produção caiu pela metade e isso afetou toda a cadeia produtiva, deixando o produtor rural com o prejuízo. Outro fator que prejudica ainda mais a produção de leite no estado são as dificuldades em se adquirir insumos agrícolas junto a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

“Esse programa está desacreditado e falido. Os produtores estão desestimulados, por conta de tantas promessas do governo e que não são confirmadas. A produção está difícil de se desenvolver. A distribuição é feita de acordo com o produtor, mas o repasse que é feito ao produtor não equivale a metade”, criticou Passos.

Governo estuda formas para pagamento

Para o secretário estadual de Agricultura, Tarcísio Bezerra, o governo também acumula prejuízos com o Programa do Leite. Segundo o secretário, são gastos mais de R$ 6 milhões por mês, apesar das constantes críticas dos produtores.

“Chegamos a conclusão que devemos fazer um reajuste operacional do programa. Temos gastos de R$ 6 milhões mensais e os produtores continuam reclamando do programa. Infelizmente, estamos com três quinzenas em atraso. Estamos aguardando os valores das indústrias, que nos são repassados pela Emater, para avaliarmos a situação e a melhor forma para o pagamento”, explica.

Mesmo assim, o presidente do Sinproleite não tem esperanças em melhoria da situação e acredita que o programa pode estar com os dias contados.

“ A bacia leiteira está totalmente comprometida. Eu acho muito difícil esta situação ser resolvida. O estado atravessa uma crise econômica complicada. Somos otimistas, mas a situação é extremamente pessimista”, lamenta. 

As informações são do G1 do RN, adaptadas pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade