Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

RO: pesquisa traça diagnóstico da ovinocultura

postado em 27/04/2009

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Regularização Fundiária (Seagri) em parceria com a Embrapa-RO, Emater-RO e Idaron, concluiram recentemente a primeira etapa do diagnóstico da ovinocultura em Rondônia. O trabalho envolveu diversos técnicos que levantaram as características de produção em 180 propriedades com rebanho ovino, durante nove meses. O propósito da pesquisa foi identificar as potencialidades, os desafios, os principais gargalos da atividade e apontar as saídas para o desenvolvimento da criação de ovinos no Estado.

Com os dados levantados pela pesquisa foi possível avaliar aspectos como manejos sanitário, alimentar e reprodutivo do rebanho, assim como também analisar questões como a comercialização de ovinos em Rondônia, estado que possui o 2º maior rebanho de ovinos da região Norte, com aproximadamente 125 mil cabeças distribuídas em 4.397 propriedades. Uma das primeiras constatações é a de que é preciso organizar os elos da cadeia produtiva para que a ovinocultura possa, de fato, deslanchar no estado. "A atividade tem um futuro promissor porque temos condições climáticas favoráveis ao desenvolvimento do rebanho, a carne de cordeiro tem boa aceitação e o mercado está em franca expansão. Porém, antes de qualquer coisa, precisamos melhorar vários aspectos, entre eles o genético", disse Jobel Beserra de Oliveira, gerente da coordenadoria de Pecuária da Seagri.

Para Sandra Régia de Paula Carvalho, médica veterinária da Seagri, os produtores precisam otimizar os meios que dispõem para melhorar a produtividade de seu sistema. "A Embrapa tem tecnologia específica sobre sistemas de produção adequados à nossa região, mas o pessoal busca fora, é preciso corrigir isso".

O diagnóstico vai servir de base para as ações das instituições envolvidas neste processo e o objetivo final é organizar os produtores e padronizar a produção a fim de atender à demanda. Uma das primeiras ações, com base no diagnóstico, começou na última quinta-feira (23) na Ceplac, local onde os técnicos da Idaron, Embrapa, Emater e Seagri se reuniram para nivelar os conhecimentos. O segundo passo é o encontro com produtores, seguido da elaboração de metas para viabilizar a revisão do sistema de produção. A prioridade é eliminar alguns gargalos como falta de ofertas dos produtos, apresentação e qualidade do produto, canais de distribuição, e assistência técnica deficitária. Solucionados estes pontos, o tão esperado frigorífico deixará de ser apenas um sonho para se tornar uma indústria que deixará o conhecido "frigomato" só na memória dos que se empenharam para transformar a ovinocultura em uma atividade possível e rentável em Rondônia, sejam eles técnicos ou pequenos e grandes produtores.

As informações são do Departamento de Comunicação de RO, resumidas e adaptadas pela equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Fernanda Lobo Fernandes

Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Produção de leite
postado em 28/04/2009

É perceptível a falta de incentivo aos produtores para PRODUZIR ovinos em RO. O potencial do Estado é enorme, mas falta profissionalismo na atividade.
Excelente iniciativa!

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2022 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade