Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

RS: anunciadas novas ações para fortalecer ovinocultura

postado em 13/04/2011

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Mais duas ações do Programa de Fortalecimento da Ovinocultura Gaúcha foram anunciadas, nesta terça-feira (12), pelo secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Luiz Fernando Mainardi, em visita ao Centro de Ensino e Pesquisa em Ovino(Cepo), unidade da Fundação de Pesquisa Agropecuária (Fepagro), localizada em Viamão. A intensificação das pesquisas em parceria com as universidades e a formação de um grupo de trabalho para elaborar um projeto de expansão da ovinocultura de leite no Estado são as medidas anunciadas.

A unidade, que funciona em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Associação Riograndense de Criadores de Ovinos e Escola Técnica de Agropecuária (Eta) de Viamão, segundo o secretário, será fortalecida para funcionar como referência do Estado para pesquisas, ensino e capacitação em ovinocultura. "Uma das primeiras medidas será priorizar a nomeação de pesquisadores e funcionários de apoio aprovadas em concurso para esta unidade", adiantou Mainardi, que aguarda relatório do diretor Flavio Albite para encaminhar as demais demandas.

"Aqui vamos intensificar a parceria com a Ufrgs, vamos ampliar as linhas de pesquisa e funcionar como centro de formação e capacitação de produtores e de mão de obra", informou Mainardi, que pretende definir com o diretor da Fepagro, Danilo Santos, duas outras unidades, localizadas na metade sul, para funcionarem como validadoras dos conhecimentos gerados no CEPO.

Em visita à Cabanha Dedo Verde, na região da Estância Grande, também em Viamão, Mainardi conheceu o programa desenvolvido pela empresa que industrializa os produtos Lacaune, feitos a partir do leite ovino. Produzindo os queijos tipo Feta e Roquefort, os produtores Paulo e Marcio Aguisky, vem trabalhando com ovinos da raça Lacaune Lait desde 1993.

Hoje, importam leite de Santa Catarina para a industrialização e mesmo assim mantém uma ociosidade de seu parque industrial de 70%, que tem capacidade para processar até três mil litros/dia. "Esta pode ser uma boa alternativa, porque além do leite, podemos produzir carne de excelente qualidade, proporcionando renda aos produtores", justificou o secretário Mainardi, para logo em seguida acrescentar que a idéia inicial é encarneirar a partir de dezembro cerca de cinco mil ovelhas das raças Corriedale e Texel e, com isso, assegurar para os próximos dois anos no mínimo duas mil ovelhas em lactação.

As informações são do Governo do Rio Grande do Sul, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade