Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

RS: Câmara da Ovinocultura debate investimento de R$ 1,6 milhão para o setor

postado em 24/05/2013

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Uma reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Ovinos, foi realizada ontem (23) na sede da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa), onde foram apresentados seis projetos. Todos eles são demandados pelo setor e fazem parte do Programa de Desenvolvimento da Ovinocultura Gaúcha.

Doenças


O primeiro projeto foi apresentado pelo coordenador do Serviço de Doenças Parasitárias e do Programa Estadual de Sanidade Ovina do Departamento de Defesa Agropecuária (DDA) da Seapa, Ivo kohek, e visa o combate à sarna ovina no Rio Grande do Sul. Entre os anos de 2000 e 2010 foram registrados apenas 15 focos em todo o Estado. Nos últimos três anos o problema se agravou consideravelmente e já foram encontrados 45 focos, a maioria na região de fronteira com o Uruguai.

Kohek salientou que, em Santana do Livramento, vem sendo realizado um trabalho de controle em 20 propriedades, onde mais de 11 mil animais foram dosificados em duas etapas. A ideia é seguir com estes mutirões. Entre as futuras ações do Serviço Veterinário Oficial (SVO) estão a criação de um grupo de trabalho para doenças parasitárias e a montagem de um kit para diagnóstico a campo.

Na ocasião, o secretário da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, destacou que os produtores precisam ser avisados da importância de que o SVO seja informado caso haja o surgimento de um foco de sarna na propriedade. Mainardi sugeriu que seja encaminhada pelo DDA uma proposta de difusão de informações, através de materiais informativos, no sentido de combater a doença e que até o final do ano sejam eliminados todos os focos existentes no Estado. Além disso, também deve ser elaborado um projeto para arrecadar recursos para a sanidade ovina no que diz respeito ao combate à sarna, piolho, verminoses e outras enfermidades.

Genética

A segunda pauta do encontro diz respeito ao Projeto de Melhoramento Genético das Raças Produtoras de Lã, apresentado pelo presidente da Cooperativa de Lãs Tejupá, Carlos Leal. O objetivo da proposta é organização e integração dos principais agentes da cadeia produtiva da lã, a partir do desenvolvimento de métodos específicos para que o produtor possa oferecer um produto de qualidade.

Segundo Leal, a realidade da ovinocultura gaúcha mudou muito nos últimas duas décadas, época em que existiam 20 cooperativas no Estado. Hoje, são apenas três e a maioria dos produtores vende a lã para atravessadores a um preço único, apenas diferenciado por raça. Portanto, o projeto consiste em disponibilizar aos produtores um aparelho para a medição da lã. A primeira ação seria a identificação dos animais e a seleção dentro do padrão racial. O projeto, orçado em R$ 310 mil, será realizado em parceria com diversas entidades, entre elas associações, órgãos públicos e universidades.

Uma vez que a lã deixou de ser comercializada somente para a fabricação de tecidos para o frio, sendo que hoje boa parte da sua venda é destinada também a tecidos finos, surgiu o Projeto Merino Fino. Entre as ações do projeto está a criação de normas para a tosquia com a implantação do sistema internacionalmente adotado Tally Hi, além de desenvolver práticas para o condicionamento de lã na propriedade e certificar normas e sistemas. Conforme Leal, o Rio Grande do Sul é um grande produtor de lã merina, mas sua finura precisa ser ajustada para que seja agregado valor. O custo estimado para o desenvolvimento do projeto é de R$ 150 mil.

Tosquia

A implantação da esquila Tally Hi é outra proposta que surgiu na Câmara Setorial da Ovinocultura. O projeto visa melhorar a qualidade da esquila e a valorização da lã gaúcha, através da disponibilização de cursos para a qualificação da mão de obra. Serão beneficiados 350 esquiladores e o total do investimento é de aproximadamente R$ 200 mil.

Outros projetos

Durante a reunião ainda foram apresentados o Projeto de Incremento da Ovinocultura Leiteira no RS, pelo representante da cadeia do leite ovino, Márcio Aguinsky, e os Projetos Cordeiro Gaúcho e de Melhoramento Genético de Reprodutores das Raças de Lã e Mistas, apresentados pelo presidente da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco), Paulo Schwab.

Todos os projetos apresentados nesta reunião somados chegam a R$ 1,6 milhão. A pauta será levada para aprovação do conselho do Fundo de Desenvolvimento da Ovinocultura, em reunião agendada para o dia 4 de junho.

As informações são do Governo do Rio Grande do Sul, adaptadas pela Equipe FarmPoint. 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade