Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

RS: linha de créditos para ovinos depende de ajuste

postado em 02/02/2011

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Foram anunciadas na última sexta-feira (28), na Feovelha, em Pinheiro Machado, as linhas de crédito do Programa Estadual de Fortalecimento da Ovinocultura que somam R$ 102 milhões para capital de giro e aquisição de matrizes. As linhas devem estar disponíveis para o produtor a partir da próxima semana. Segundo o superintendente de Crédito do Banrisul, Luis Fernando Nunes, o começo das operações de retenção de matrizes depende da assinatura de um convênio entre o governo estadual e o banco, prevendo a equalização dos juros por meio do Fundovinos, criado em 1998 e que será reativado. Assim, a taxa anual cairá de 10,75% para entre 2% e 5,75%.

Segundo o secretário da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, tudo está sendo feito para que a verba chegue o mais rápido possível ao criador. Como não há dinheiro no fundo, paralelamente, a Secretaria da Agricultura (Seapa) formula um projeto para que a Assembleia Legislativa autorize o remanejamento de R$ 2,5 milhões para o subsidio da taxa, verba que será necessária só dentro de um ano quando vence a primeira parcela do empréstimo. No caso da linha para aquisição, que já existe, ocorrem ajustes no sistema do banco para trocar o prazo de pagamento, alongado de dois para cinco anos.

Pelas regras, os animais financiados serão a garantia do negócio. O banco financiará até 80% dos ventres com mais de 6 meses e 100% das fêmeas com menos de 6 meses. Como contrapartida o produtor se compromete a aumentar 20% o encarneiramento de matrizes a partir do segundo ano e vender somente em abatedouros e frigoríficos com inspeção oficial, exceção aos animais destinados a consumo próprio. Pelas contas do governo, o efeito direto do programa seria um incremento de 80 mil matrizes e 30 mil cordeiros, a partir de 2013. Hoje, o rebanho é de 13 milhões de cabeças. O presidente da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco), Paulo Schwab, acredita que as linhas irão estimular o aumento do rebanho neste momento em que ocorrem as vendas de verão.

Para retenção de matrizes, o prazo para pagar o financiamento será de três anos com um de carência e pagamentos anuais. Os juros são de 5,75% ao ano para produtores empresariais e de 2% ao ano aos do Pronaf. O valor considerado por matriz é de R$ 130,00 e o limite individual é de R$ 130 mil.

Para aquisição de matrizes e reprodutores, o prazo para pagamento é de cinco anos com até dois de carência para pagamentos anuais. As taxas de juros variam entre 1%, 2% e 4% aos enquadrados no Pronaf de acordo com o valor tomado. Aos produtores enquadrados no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor, o juro é de 6,25%, e aos demais, de 6,75% /ano. O limite individual é de R$ 200 mil, mas aos ovinocultores ligados ao Pronaf, de R$ 50 mil.

O que fazer?

- O produtor deverá solicitar a declaração de estoque de ventres ovinos existentes na Inspetoria Veterinária e Zootécnica de seu município.

- Ao solicitar o financiamento de retenção de matrizes, o produtor deverá apresentar esta declaração obtida junto a IVZ ao banco, que a tomará por base para quantificar o número de ventres.

- Os projetos técnicos e laudos de supervisão serão realizados pela Emater gratuitamente para os pecuaristas familiares.

A reportagem é do Correio do Povo, adaptada pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade