Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

RS: Mais Ovinos no Campo eleva rebanho gaúcho em 350 mil cabeças

postado em 26/08/2013

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O rebanho gaúcho contou com incremento de 350.524 cabeças desde a implantação do programa Mais Ovinos no Campo, pelo Governo do Estado. Os números foram relatados neste domingo (25), pelo superintendente da Unidade de Negócios Rurais do Banrisul, Carlos Roberto Barbieri. A instituição atua em parceria com a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa) na gestão da iniciativa.

Em entrevista, no parque da 36ª Expointer, Barbieri apresentou um balanço atualizado do programa que, até o momento, já registrou 2.531 operações. Implantada em 2010, com a meta de retomar o crescimento da ovinocultura no RS, a iniciativa atua em duas frentes específicas: auxílio na aquisição e retenção de matrizes.

“Acredito que este programa tenha obtido o maior sucesso dentre todos existentes no atendimento de um setor. Nunca vi uma incidência tão consistente na produtividade”, alega. E, de fato, os números comprovam o apontamento. “O Banrisul tem dotação para investir R$ 100 milhões até o final de 2014. Por enquanto, foram mais de R$ 61 milhões aplicados”, enumera Barbieri. Na aquisição, o valor aplicado superou a marca de R$ 34 milhões e, na retenção de matrizes, ultrapassou R$ 27 milhões.

Para tentar explicar o sucesso alcançado, o superintendente argumenta que o fato se deve, exatamente, em vista do funcionamento do programa. “Primeiro, porque garante a compra de matrizes. Ou seja, foca no aumento da produção. Segundo, porque evita o abate destas fêmeas que, antigamente, eram realizadas para gerar renda. Agora, o produtor pode investir na produção e comercializá-la, mantendo as matrizes”, explica.

Resultados


Desde a implantação, a redução de abates de fêmeas foi significativa. Um estudo realizado sobre o tema apontou 210.997 abates em 2010, 136.180 em 2011, e 92.538 no ano passado. Como resultado, o número de cabeças no Estado passou de 3,73 milhões para mais de R$ 4 milhões, uma elevação aproximada de 10%.

Luiz Fernando Mainardi, secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio do RS, comemora os resultados obtidos pelo primeiro programa lançado no governo Tarso Genro. Segundo ele, depois desta ação, outras iniciativas foram tomadas com foco no fortalecimento da ovinocultura gaúcha. “É necessário retomar a atividade que tem, além da importância econômica, um grande valor social”, opinou o secretário.

Entre as medidas tomadas, Mainardi destaca as parcerias com a Associação Brasileira de Criadores de Ovino (Arco) e com o Programa Juntos para Competir, que viabilizam projetos que capacitam produtores, fornecem ferramentas para melhorar o negócio e potencializam a retomada do segmento.

Prazos e juros


Para a retenção, através do Banrisul, o produtor viabiliza crédito com prazo de três anos para pagamento, mais um de carência, com juros de 2% ao ano para os enquadrados no Programa Estadual de Desenvolvimento da Pecuária Familiar e de 5,50% ao ano para os demais. Em contrapartida, alcança a elevação e, cerca de 20% no encarneiramento de matrizes no segundo ano da operação e pode vender a produção para frigoríficos com inspeção oficial. Já para viabilizar a aquisição, as vantagens são ainda maiores. O prazo de quitação é de cinco anos com dois de carência, e juros que variam de 1% a 2% para pronafianos, 4,5% aos pronapianos, e 5,50% aos demais.

As informações são da Expointer 2013, adaptadas pela Equipe FarmPoint.  
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade