Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

RS: ovinocultores buscam certificação de carne e lã

postado em 10/08/2007

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Começará a ser implementado no Rio Grande do Sul um projeto para certificar a produção de carne e lã de ovinos. O programa será coordenado pela Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco) em parceria com sindicatos, criadores e indústrias.

Inicialmente, apenas alguns criadores participarão de um estudo piloto que vai indicar as medidas mais adequadas a serem aplicadas quando o trabalho envolver todos os participantes.

Segundo reportagem de Leandro Belles, a idéia é reunir o maior número de ovinocultores sem determinar uma região geográfica específica ou exigir um número mínimo de animais por propriedade. "Queremos que os criadores trabalhem de maneira cooperada", comentou o presidente do conselho técnico da Arco, Araquen Pedro Dutra Telles.

Os trabalhos de campo devem começar no próximo mês e só então os coordenadores poderão tentar, no Ministério da Agricultura, a validade das certificações.

Para o veterinário Nairo Gonçalves, que cria 2.100 ovinos Corriedale na Estância São Luiz, em São Gabriel, a certificação deve proporcionar um incremento na renda. "Quem cria ovinos sabe que dá trabalho. Quem entrar neste processo vai ter de continuar fazendo esse mesmo trabalho, só que com mais comprometimento", disse ele, cujo rebanho produz cinco toneladas de lã por ano.

Para a indústria, o programa é determinante para a conquista de novos mercados. Segundo o presidente da Cooperativa Tejupá, de São Gabriel, Carlos Cleber Dias Leal, o Brasil está atrasado em relação a outros países na qualificação dos produtos. "O mundo atual exige isso (certificação). É indispensável garantir a qualidade em toda a cadeia produtiva para aumentar o rendimento no campo", ressaltou.

Avalie esse conteúdo: (3 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade