Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Seca deverá reduzir produção de lã na Nova Zelândia

postado em 04/04/2013

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A seca provavelmente direcionará a produção de lã da Nova Zelândia a cair em cerca de 5% no próximo ano e possivelmente mais se as condições persistirem, disseram especialistas. Porém, não se sabe o quanto isso custará aos produtores.

Os animais afetados pela seca produzem menos lã e o produto fica mais propenso a rupturas de fibras. O diretor executivo do serviço econômico do Beef + Lamb New Zealand, Rob Davison, disse que a produção de lã no próximo ano provavelmente deverá cair 5% ou 9.000 toneladas, para cerca de 159.000 a 160.000 toneladas. Porém, a queda poderá piorar se a seca persistir e forçar os produtores a abater seu rebanho de cria e reposição, que forneceriam a lã do próximo ano, disse ele. A produção de lã nesse ano foi impulsionada pelas excelentes condições de pastagens do ano anterior, disse ele.

Uma queda de 5% na produção não necessariamente significa menos dinheiro nas mãos dos produtores, à medida que isso depende do que acontecerá com os preços da lã. “Temos visto flutuações nos preços de mais de 5% entre os anos. Nesse ano, o preço da lã caiu em cerca de 25% com relação ao ano anterior”.

O executivo de marketing do Wool Services International, Malcolm Ching, disse que os abates antes do normal do gado forçados pela seca criariam uma bolha imediata na oferta de lã e uma queda correspondente em poucos meses. Porém, essa é uma boa época do ano para isso acontecer, disse ele. As tosquias estão desacelerando à medida que os meses mais frios se aproximam, e a oferta e a demanda no momento estariam aproximadamente balanceadas. Entretanto, em poucos meses, a escassez de lã apoiaria os preços – o que poderia beneficiar os produtores.

Os ovinos param de produzir lã em períodos de seca e escassez de alimentos para se concentrar na sobrevivência, disse ele. “A seca cria um estresse no animal e a primeira coisa que ele faz é fechar seu folículo de lã, que cria um ponto fraco na lã”. Isso torna a lã mais quebradiça e afeta a qualidade de processamento. Porém, a menor qualidade da lã sozinha provavelmente não impactará de forma significante na renda dos produtores.

A quebra nas fibras de lã poderia ter um efeito de torná-la mais fina e – se a quebra não for muito substancial -, aumentar seu valor. Porém, como regra geral, a seca custa aos produtores, disse ele. Mesmo com os preços da lã podendo aumentar ou a lã podendo subir para uma categoria de melhor preço, isso geralmente não é suficiente para compensar o impacto dos menores volumes e custos extras – como a compra de estoques de reposição.

A reportagem é do http://www.stuff.co.nz, traduzida e adaptada pela Equipe FarmPoint.
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2022 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade