Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Seca no Nordeste reduz rebanhos de caprinos e ovinos indica IBGE

postado em 11/10/2013

6 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A pesquisa de Produção Pecuária Municipal (PPM) 2012, divulgada ontem (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelou uma queda de 7,9% no rebanho de caprinos e ovinos (-5%). Entre todos os rebanhos, a queda é mais acentuada no Nordeste, por causa da prolongada seca no ano passado.

A região lidera a participação nacional na produção destes rebanhos e seus produtos derivados. Em 2012, a retração no rebanho de caprinos na região foi de 8,2% e a queda no rebanho ovino foi de 7,8%. Também houve forte impacto na produção de mel (-19,3%), em virtude da falta de floração nas regiões atingidas pela escassez de chuvas.

Entre os caprinos, a Paraíba (-18,5%) liderou a queda. No entanto, Bahia (-11,5%) e Pernambuco (-7%), que juntos representam 50% da produção nacional, tiveram maior impacto sobre a produção.

O rebanho de ovinos, composto por 16,8 milhões de cabeças em 2012, perdeu cerca de 800 mil unidades. O rebanho pesa na pecuária pela produção de carne e de lã, que responde por 23,8% do rebanho. Neste último item, a produção teve alta de 1,6% e valorização de 9,3%.

As informações são do G1, adaptadas pela Equipe FarmPoint.  

Avalie esse conteúdo: (3 estrelas)

Comentários

Octávio Rossi de Morais

Sobral - Ceará - Pesquisa/ensino
postado em 14/10/2013

É importante ressaltar que, diferentemente dos bovinos, as perdas entre os caprinos e ovinos não ocorreram por morte por fome ou sede, mas principalmente por vendas para o abate. Outro dado muito relevante: no Nordeste a cabra e a ovelha são vendidas para comprar ração para os bovinos não morrerem.  

gilenoribeirodesantana

Morpará - Bahia - Produção de ovinos de corte
postado em 17/10/2013

È preciso acreditar na palma adensada por gotejo ja que  é ultilizado o minimo de agua possivel , e tambem cuidar da sanidade e melhoramento genético , criar menor quantidade com melhor qualidade .

Manabi Matsukita

Condeúba - Bahia - Produção de caprinos de corte
postado em 19/10/2013

Estou no começo de uma criação de caprinos para corte e a minha maior dificuldade é         comprar matrizes de boa qualidade na minha região, pois na região só eu que ainda  acredito na caprinocultura.
Plantei a palma já adensada  e comprei um reprodutor boer só me falta as matrizes.
Hoje tenho 28 anos quando tinha 10 anos minha mãe criava  300 matrizes mas a falta de acompanhamento tecno foi  tudo por água a baixo.
Quem poder  me indicar criadores de caprinos eu agradeço.......
Meu email - matsukitamanabi@gmail.com

Marcelo Emmanuel Silva

Ribeira do Pombal - Bahia - Técnico
postado em 22/10/2013

A seca que castiga o nordeste nos últimos 03 anos, de maneira dura, comprova a resistência, viabilidade e a capacidade de recuperação da ovinocaprinocultura e apicultura da nossa região. Enquanto a bovinocultura foi paticamente dizimada, a criação de cabras,ovelhas e abelhas está de recompondo e promovendo a recuperação da combalida agropecuária nordestina. Graças a precocidade, prolificidade, menor capital investido essas espécies mostram que são a redenção da economia agrosustentáve do semiárido.l   

adriana

Teresina - Piauí - Pesquisa/ensino
postado em 23/10/2013

Ressaltando-se que os caprinos e ovinos são as atividades no semiárido que mais dão segurança ao produtor. Os rebanhos estão diminuindo porque a liquidez econômica das outras culturas foram abaixo da média e para o produtor rural se manter está usando os estoques de animais. Meu medo é que como o produtor rural do Nordeste é pouco organizado, pode haver uma redução drásticas dos estoques.

gileno ribeiro de santana

Morpará - Bahia - Produção de ovinos de corte
postado em 29/10/2013

Apartando as crias com dois de idade , as matrizes vão enxertar bem mais rápido , assim o nossos rebanho vai se estabilizar com mais facilidade.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade