Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Série de reuniões discute Ramo Agro e resultado será apresentado aos 3 principais candidatos à Presidência

postado em 18/02/2014

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A elaboração de um programa de governo focado no agronegócio é a pauta principal de uma série de reuniões que começou ontem (17), em São Paulo. O documento será apresentado aos três principais candidatos à Presidência da República como subsídio à definição de políticas públicas mais efetivas para o setor. O trabalho está sendo coordenado pelo Centro de Agronegócios da Fundação Getúlio Vargas (GV Agro), com apoio do Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras).

O presidente do Sistema, Márcio Lopes de Freitas, a gerente de Relações Institucionais, Fabíola Nader, e a gerente Técnica e Econômica, Clara Maffia, se reuniram com o coordenador do GV Agro, Roberto Rodrigues. A reunião também teve a participação de representantes de entidades que trabalham em prol do desenvolvimento econômico do País, como a Academia Nacional de Agricultura (ANAgri).

“O Brasil não caminharia sem a ajuda do produtor rural. É do campo que sai todo o desenvolvimento do nosso País. Homens e mulheres trabalham de sol a sol a fim de produzir, empreender, melhorar de vida e contribuir com todas as famílias brasileiras”, considera o presidente Márcio Freitas.

NO COOPERATIVISMO – O ramo agropecuário é um dos principais do cooperativismo brasileiro. Dados do IBGE apontam que cerca de 50% de tudo que é produzido na agropecuária nacional passam por uma cooperativa. As informações do Instituto dão conta de que 74% do trigo e 57% da soja são plantados e colhidos por mãos cooperativistas.

Ainda segundo o IBGE, as cooperativas do ramo agropecuário representam um importante incremento na produção brasileira. Por exemplo: 48% do café nacional, 44% do algodão, 43% do milho e 35% de arroz são produzidos pelo setor cooperativista.


GV Agro - Entendendo a importância estratégica do agronegócio para o país e a necessidade de sempre avançar na pesquisa e na formação de recursos humanos, a Fundação Getulio Vargas criou um centro de excelência, para contribuir com o desenvolvimento do agronegócio brasileiro.

As informações são da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade