Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Setor de alimentação animal prevê crescimento em 2008

postado em 07/01/2008

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O setor de alimentação animal prevê um aumento de 10% no volume de ração comercializado este ano, apesar das previsões de alta de soja e milho para a próxima safra. Segundo estimativa do Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações) esse mercado poderá superar a marca de 59 milhões de toneladas vendidas em 2008, ultrapassando os 53,5 milhões de toneladas comercializadas na última safra.

Esse incremento será alavancado pelo aumento do consumo de aves e suínos, que respondem por 80% do total comercializado, e pelos preços recordes da arroba do boi, que devem mobilizar um consumo ainda maior do produto. Embora os volumes comercializados sejam menores, com um total de 6,4 milhões de toneladas, a produção de ração para bovinos foi a que mais cresceu em 2007, acima de 20%.

O principal desafio do setor será o aumento dos preços dos suplementos minerais. Segundo reportagem de Priscila Machado, do Diário do Comércio & Indústria, uma reação em cadeia que irá atingir todos os ingredientes deve impulsionar uma alta de até 70% nos preços dos principais insumos.

O presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Suplementos Minerais (Asbram), Marcos Baruselli, afirmou que o repasse da alta dos insumos para o preço final da ração irá depender do planejamento de cada empresa. Baruselli alertou ainda para o risco de o produtor recuar no uso dessas matérias-primas diante do aumento dos preços. Em 2007, os efeitos da alta do milho e da soja, que representam 90% do custo da ração, já se refletiram no aumento do preço das rações que, por sua vez, registrou uma alta de 17%, percentual que poderá ser superado em 2008 caso haja uma quebra de safra ou o impedimento de importar essas commodities.

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade