Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Supermercados vendem 9% a mais em 2008

postado em 28/01/2009

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Apesar da diminuição do ritmo de crescimento em dezembro, as vendas dos supermercados registraram alta de 8,98% em 2008 ante 2007, já descontada a inflação, impulsionadas pelo aumento de renda da população na maior parte do ano.

De acordo com a Abras (Associação Brasileira de Supermercados), a expansão projetada de 10% nas vendas em dezembro em relação ao mesmo mês de 2007 não se concretizou - o aumento foi de 6,07% nessa comparação.

Sussumu Honda, presidente da entidade, credita o desempenho abaixo das expectativas a uma cautela maior do consumidor na hora de comprar os produtos para as ceias de Natal e Ano-Novo devido às notícias sobre a crise internacional. Além disso, segundo o Ministério do Trabalho, foram fechadas em todo o país 655 mil vagas com carteira assinada no mês passado.

Para este ano, a associação prevê crescimento de 2,5% ante 2008 com preços estáveis, crescimento econômico menor que o do ano passado e possível aumento do desemprego.

"O setor de alimentos tem oscilações para cima ou para baixo menores do que outros segmentos, logo sofre menos com a crise, mas não se beneficia tanto nos momentos de crescimento", diz o consultor especializado em varejo Eugênio Foganholo, da Mixxer.

O presidente da Abras acrescenta que uma das maneiras de aumentar o faturamento é oferecer produtos mais baratos e acirrar a concorrência com feiras livres, padarias, açougues e sacolões, por exemplo.

Mesmo com a desaceleração no crescimento, Honda não prevê demissões neste ano. O Wal-Mart anunciou que deve criar 10 mil novos postos de trabalho neste ano com aportes de até R$ 1,8 bilhão no país. O Grupo Pão de Açúcar e o Carrefour não detalharam a quantidade de empregos que devem ser gerados, mas cada um pretende investir R$ 1 bilhão.

A reportagem é de Tatiana Resende para o jornal Folha de SP, resumida e adaptada pela equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade