Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

"Temos dificuldades quando precisamos encontrar alguém que saiba, no mínimo, ordenhar"

postado em 14/05/2012

5 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A zootecnista Carmen Ceres, de Macaíba/RN, que trabalha com caprinos leiteiros, enviou uma carta para a matéria "Mão de obra especializada para a ovinocaprinocultura", publicada na semana passada no FarmPoint. Ela comentou sobre a dificuldade de encontrar mão de obra e a importância dos cursos de capacitação para funcionários. Abaixo leia a carta na íntegra.

"Sou zootecnista e trabalho com caprinos leiteiros no Rio Grande do Norte e temos dificuldades quando precisamos encontrar alguém que saiba, no mínimo, ordenhar. Os principais entraves que vejo com relação à mão de obra é a falta de treinamento para os trabalhadores e a longa jornada de trabalho acoplada à baixa remuneração, que desestimula os trabalhadores rurais a ficarem no campo, obrigando-os a procurarem empregos nas cidades com melhor remuneração e jornada de trabalho fixa.

Poderiam ser fornecidos cursos capacitantes gratuitos para esses trabalhadores, composto em sua maioria de atividades práticas cotidianas realizadas no sistema de produção de ovinos/caprinos.

Aqui no Nordeste ainda tem um agravante que é o grau de escolaridade dos trabalhadores rurais, que mal completam o ensino fundamental. Isso prejudica as anotações de dados zootécnicos, que fazem toda a diferença num sistema de produção animal.

Investir no treinamento dos trabalhadores é de suma importância para toda a cadeia da agropecuária. Trabalhador treinado é trabalhador valorizado. Trabalhador valorizado é bem pago e não quer sair do emprego".


Qual é a sua opinião sobre esse assunto? Participe deixando um comentário!

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Paulo José Theophilo Gertner

Lauro de Freitas - Bahia - Médico Veterinário
postado em 14/05/2012

Existem diversos curso por todo o Brasil. O sistema SENAR, o SEBRAE, e muitas Associações os promovem. Assim como há vários Profissionais empenhados neste tipo de trabalho com metodologia apropriada para este tipo de Mão de Obra com baixa escolaridade. Nós da Suporte Assessoria Veterinária, promovemos este trabalho tanto com os Produtores, Associações e Cooperativas que assessoramos.

Zeca Gertner

andre luiz kuhn rohr

Ponta Grossa - Paraná - Zootecnista
postado em 14/05/2012

Alguns empresários têm medo de treinar seus funcionários com medo que percam eles para outros com propostas melhores... E assim pede todo seu investimento no funcionário.
E quanto à falta de mão de obra de qualidade no campo, isso e no país inteiro. Aí nós perguntamos como que vamos crescer sem mão de obra qualificada?

António Luiz Gomes

Santarém - Santarém - Portugal - Pesquisa/ensino
postado em 15/05/2012

Pôs o dedo na ferida. Felizmente existem recursos de formação. Há que divulgá-los, utilizá-los e desenvolvê-los. E cada um de nós é um recurso de formação também. Ao trabalho!

Rejane Pereira Castro

Araruama - Rio de Janeiro - Indústria de laticínios
postado em 15/05/2012

Concordo com todas as opiniões dos amigos descritas acima.

Onde moro, também NÃO TEM mão de obra qualificada e a remuneração é baixa. Por isso a desistência da maioria dos trabalhadores em prol de serviços urbanos com menos hora de trabalho.

Trabalhar com animais TODO O SANTO DIA não é para qualquer um.

Aprendi manejo, ordenha, alimentação atraves de cursos realizados pelo SENAR-Araruama, na internet como a AGRIPOINT, dentre outros.  Casqueamento captei atraves da observação de um rapaz que "quando" podia vir casqueava minhas cabras.

Tenho um funcionário de 17 anos,que encontrei por sorte, e que tratava de cabras junto com pai, mas mesmo assim tive que moldá-lo para um manejo e ordenha higienicos.

Bom, o problema de mão de obra é por toda parte, acho que temos que ter paciência e persistência em encontrar uma pessoa, e nós mesmos capacitá-las para o dia a dia de trabalho no campo.

Abraços.




dimas cruz

Fortaleza - Ceará - serv. púb. fed. (curioso em ovinoc.corte)
postado em 15/05/2012

Realmente.
Mão de obra. Eis o problema!
Para quem se propôe a investir em produção no campo, a dificuldade de mão de obra qualificada é o maior problema.
Por outro lado ainda temos que enfrentar um grande problema com aqueles que se propõem a trabalhar, que é o analfabetismo. Raros são aqueles que sabem ler e escrever um bilhete ou uma anotação qualquer.
A solução é amoldá-los ao trabalho, de acordo com nossos conhecimentos.
Mas, desistir, nunca! Vamos à luta!!!

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade