Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

TO: Adapec alerta para manejo sanitário do rebanho

postado em 14/01/2009

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

De 2007 para 2008, o rebanho de ovinos e caprinos criados no Tocantins aumentou 7,08%, chegando ao número de 100.996 animais, segundo o último recadastramento do rebanho feito em novembro. A Adapec - Agência de Defesa Agropecuária - comemora o crescimento da produção e alerta os produtores para o manejo sanitário.

"A ovinocaprinocultura exige cuidados diferenciados de outras produções, como por exemplo a bovinocultura. Estes animais precisam de maiores cuidados, principalmente com relação às verminoses", explica o gerente do Programa Estadual de Ovinos e Caprinos da Adapec, Jefferson Pessoa.

Além disso, outras doenças como linfadenite caseosa (mal do caroço), pododermatite (podridão do casco), ectima contagiosa (boqueira) e encefalite artrite caprina podem reduzir a produtividade do rebanho e trazer prejuízos aos criadores. "Para a pododermatite e a linfadenite já existem vacinas. Já a ectima é prevenida com manejo no criatório", esclarece o médico veterinário.

Se o produtor já cria ovinos e caprinos e quer evitar que doenças entrem na propriedade, a recomendação é a mesma para os outros rebanhos: aceitar animais somente com a GTA - Guia de Trânsito Animal e com o atestado sanitário do rebanho adquirido, assinado por um médico veterinário. "O produtor ainda deve deixar os ovinos e caprinos separados do seu rebanho, em quarentena, por cerca de 30 dias, para confirmar a sanidade dos mesmos", informa o gerente do Programa Estadual, acrescentando que o produtor pode conseguir a relação de criatórios revendedores cadastrados na Adapec.

A estrutura física para o criatório e a alimentação também merece atenção redobrada. "Os ovinos e caprinos devem dormir em estruturas adequadas e a alimentação deve conter sal mineral especifico para as espécies", diz Pessoa.

O presidente da Adapec, Humberto Camêlo, complementa que o produtor pode tirar suas dúvidas sobre a ovinocaprinocultura nos escritórios da Adapec. "A Agência tem unidades em todos os 139 municípios do Tocantins, onde também podem ser encontradas cartilhas explicativas com dicas de manejo sanitário para as culturas", comenta Camêlo.

As informações são da Adapec/TO, adaptadas pela equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade