Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Uruguai: rebanho ovino deverá baixar

postado em 02/12/2008

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A Dirección de Contralor de Semovientes (Dicose) do Ministério da Pecuaria, Agricultura e Pesca do Uruguai (MGAP) anunciou extra-oficialmente que baixará o número de ovinos do país, ficando em menos de 10 milhões de cabeças.

O gerente do Secretariado Uruguayo de la Lana (SUL), Gabriel Capurro, disse que, segundo as estimativas, espera-se uma baixa de cerca de 800 mil cabeças. Segundo indica o estudo, "as categorias de lanares são as que mais têm baixado, havendo, neste caso, também uma baixa no número de ovelhas".

Devido a esta situação, o rebanho ovino uruguaio ficaria em torno de 9 milhões de cabeças, aproximadamente. Capurro disse que é muito difícil saber com exatidão a tendência, porque "depende das decisões de um conjunto de produtores". Atualmente se estava trabalhando com um mercado muito firme no setor agrícola e no de carne bovina, de forma que o produtor estava reduzindo ovinos em favor dos demais setores. "Neste momento, há grande incerteza com relação aos mercados, qual será sua evolução, qual é o nível de preços com que os produtores trabalharão no próximo ano e, sobretudo, qual o nível de custos".

A carne ovina tem sido a menos afetada, com relação aos demais produtos, tendo uma baixa menor e uma melhor fluidez de colocação. No entanto, a lã tem tido uma queda importante. "Deve-se ver na equação dos produtores como ficam todos os elementos". A este cenário, disse Capurro, se soma o fator climático e forrageiro, "onde há uma dificuldade já instalada na qual o ovino se defende bem, e cabe esperar como os produtores resolverão esta situação, tomando as decisões de acordo com as expectativas que tenham considerando o mercado e a forragem disponível".

Nos próximos dias, no mês de dezembro, será apresentado um plano estratégico para o setor ovino, do qual participará a indústria de lã e a indústria frigorífica. Este plano é uma análise que as indústrias de lã, carne e produtores através do SUL e suas organizações estão realizando para ver de que maneira se pode fortalecer uma estratégia do país nos mercados de carne ovina e de lã de forma que seja para o produtor um negócio atrativo e a indústria possa continuar trabalhando. O plano estratégico analisará e proporá ações que apontem aos mercados, as estratégias de produção e aos produtos de maior colocação nos mercados.

A reportagem é do Megaagro.com.uy, traduzida e adaptada pela equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade