Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Uruguai teve novo aumento do estoque ovino

postado em 01/12/2006

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Os dados divulgados pela Direção Geral de Serviços Pecuários (DICOSE) do Uruguai confirmam um novo aumento do estoque da ordem de 3%, chegando a 11,16 milhões de cabeças, com um crescimento de 320 mil lanares.

Outro dado relevante é o aumento registrado na extração total do setor ovino em 2005/06, que cresceu em seu conjunto (abate mais exportação em pé) 57% com relação ao ciclo anterior. Isso foi possível devido à obtenção de uma elevada señalada (cordeiros desmamados e com a marca do estabelecimento na orelha) na primavera de 2005, o que possibilitou o aumento do estoque apesar do elevado aumento na extração total. No entanto, apesar do importante aumento da produção ovina e da exportação em pé, a mesma não tem sido suficiente para satisfazer a oferta potencial de cordeiros que existe no Uruguai.

A maior participação da carne no rendimento total gerado pelo setor ovino se tem refletido com uma reorientação geral dos sistemas produtivos. Neste sentido, os capões, tradicional categoria dos sistemas laneiros clássicos, caíram novamente com relação ao ano anterior. A categoria chega a 1,109 milhões de cabeças, caindo 7,7%.

Em termos relativos, é notória a menor incidência dos capões em toda o rebanho, representando 10% do mesmo, frente aos 20% em média do período de 1980-2000. Trata-se de uma categoria importante para os sistemas especializados na produção de lã fina, de forma que será necessário uma adequação de seu novo nível de participação no rebanho total ovino.

Por outro lado, as ovelhas de cria aumentaram levemente para 5,423 milhões de cabeças, ainda que mantenham uma maior participação no total do rebanho. Nos últimos anos, as ovelhas de cria representaram 50% do rebanho total, enquanto entre 1980 e 2000, a média era de 44%. A reportagem é do El País.

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade