Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Uruguai: TLC com China ajudaria mercado de lã

postado em 11/09/2006

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O eventual fechamento de um acordo comercial com a China é bem-vindo pela indústria laneira do Uruguai já que poderá levar à redução de tarifas para as exportações deste produto.

A indústria considera que as compras dos importadores chineses são "normais", mas, apesar de tudo, "nota-se que houve redução das importações de lãs cardadas e de tops (cardada e lavada). Dos picos de compra que tiveram, poderíamos dizer que caíram 50% ou 60%", disse o presidente da Câmara Mercantil de Produtos do País (CMPP), Ricardo Seizer.

A mesma visão sobre um possível Tratado de Livre Comércio (TLC) com a China tem o presidente do Secretariado Uruguayo de la Lana (SUL), Alejandro Tedesco. "Um documento desta natureza pode favorecer muito a melhora das relações comerciais entre ambos os países. É vital um tratado que nos permita entrar em qualquer país com produtos processados sem ter que pagar um imposto".

Seizer garantiu que os importadores chineses mantêm o interesse pelas lãs uruguaias, mas não prognosticou como seguirá a demanda na nova safra. "Tudo dependerá de como o Uruguai estará frente a outros países como Austrália, Nova Zelândia, Argentina ou África do Sul. Pelo menos os preços terão que estar na mesma linha". Todavia, ainda sobra lã da safra passada nas mãos de alguns produtores.

Até o momento, o Uruguai exportou para a China o equivalente a 365 milhões de quilos de lã base limpa. Porém, a China também é um mercado importante para a carne ovina e, neste produto, o Uruguai já está habilitado para exportar cortes com osso, em um mercado crescente no qual não existem cotas.

A reportagem é do jornal El País.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade