Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

USDA: uso do milho para produção de etanol crescerá

postado em 17/02/2010

2 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) aumentou sua previsão de uso do milho para a produção de etanol em 100 milhões de bushels para 4,3 bilhões de bushels no ano comercial de 2009-10, refletindo os últimos dados de produção de etanol da Agência de Informações de Energia.

A produção recorde de etanol em novembro aumentou em 3% com relação ao recorde anterior, de outubro, à medida que os maiores preços para o etanol e destiladores de grãos impulsionaram os retornos aos produtores de etanol. O uso de milho para produção de etanol em novembro-dezembro aumentou em 16% com relação ao mesmo período de 2008-09. Apesar de os retornos terem declinado desde novembro, recentemente os menores preços do milho continuam apoiando a lucratividade dos produtores de etanol, disse o USDA em seu último relatório sobre Oferta e Demanda Agrícolas Mundiais.

O USDA reduziu sua estimativa de estoques de milho para o final do ano comercial, para 1,719 bilhões de bushels dos 1,764 bilhões de bushels projetados no mês anterior e também abaixo da média da previsão dos analistas do Wall Street, de 1,748 bilhões de bushels, de acordo com uma pesquisa do Dow Jones.

O USDA reduziu seu preço ao produtor projetado para o ano comercial para o milho em 5 centavos em ambos os valores, máximo e mínimo, da previsão, para US$ 3,45 a US$ 3,95 por bushel.

Quanto aos estoques finais de soja, no ano comercial de 2009-10 deverão ser de 210 milhões de bushels, menos que os 245 milhões de bushels previstos no mês anterior e abaixo da média da estimativa de Wall Street, de 219 milhões de bushels.

O USDA reduziu sua previsão de preços para 2009-10 da soja em 20 centavos nos dois valores, máximo e mínimo, para US$ 8,70 a US$ 10,20 por bushel. Entretanto, aumentou sua previsão de preço para o farelo de soja em 5 centavos nos dois valores, para US$ 279 a US$ 320 por toneladas, citando fortes exportações de farelo de soja e menor taxa de extração de farelo de soja.

A reportagem é do MeatingPlace.com, traduzida e adaptada pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

JOSÉ LUIS SERAPIÃO

Limeira do Oeste - Minas Gerais - Instituições governamentais
postado em 17/02/2010

Aqui no Brasil, com os preços de álcool ao consumidor em alta e o preço do milho ao produtor em grande baixa, ou seja, em alguns casos bem abaixo dos custos de produção, quem sabe não seria hora de pensar em produzir etanol de milho também. O que ainda está faltando?

Paulo Cesar Bastos

Feira de Santana - Bahia - Produção de gado de corte
postado em 22/02/2010

Prezado Secretário José Luis Serapião.

O Brasil começou o ano de 2010 com problemas no mercado do etanol. Depois de uma relativa estabilidade os preços do álcool combustível voltaram a subir nos postos. A oferta por parte das usinas está com pequena margem de segurança em relação à demanda.
O etanol , para a segurança do mercado,poderá vir tanto de Limeira do Oeste nas Minas Gerais como da Terra do Sol,o Nordeste Brasileiro, pelo cultivo e utilização do sorgo doce ou sacarino para produção de álcool.Outros países estão pesquisando e desenvolvendo novas alternativas para produzir etanol.O Brasil poderá fazer o mesmo, Precisamos continuar avançando, preservando e produzindo.
Ver mais em nosso artigo O SORGO E O ETANOL NA TERRA DO SOL, disponível na seção MyPoint aqui no BeefPoint.

Pode acessar tambem o endereço: http://www.beefpoint.com.br/mypoint/21087/post.aspx?idPost=264


PAULO CESAR BASTOS
Engenheiro civil e produtor rural.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade