Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Comunidade > Novidades AgriPoint

Altura de pastejo x aumento de parasitismo em ovinos e caprinos

postado em 19/07/2006

Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Controle parasitário em ovinos e caprinos
1. O Haemonchus tende a se movimentar na haste do capim para fugir dos raios solares. Eu queria entender por que o pastejo em capim baixo aumenta o parasitismo; não seria o contrário?

Sim, o Haemonchus e outros parasitas se movimentam "bastante" no meio ambiente. Podem subir uns 10 cm no pasto e/ou penetrar no solo outros 10 cm (no caso de frio/seca). Entãoo, se os animais estiverem em um pasto com altura acima da canela (acima de 15 cm) a chance de contaminação será menor. Isto ocorre por hidrotropismo, no momento que tem muito orvalho.

Outra estratégia muito usada é soltar os animais somente após às 9h da manhã, pois existirá menos orvalho. Caso você tenha um pasto um pouco alto, essa restrição de horário poderá ser descartada.

É isso. Um grande abraço.

Marcelo Molento.

2. Uma dúvida sobre a questão do equilíbrio parasita/hospedeiro: os parasitas procuram estar em equilíbrio no hospedeiro? Esse equilíbrio pode ser afetado ou provocado pelos próprios parasitas, ou seria por uma deficiência alimentar do ovino?

A questão do equilíbrio é muito inteligente. Partindo do princípio que os parasitas necessitam de um hospedeiro para sobreviver, esses não podem simplesmente matar sua moradia.

Então, começa um jogo de forças entre o parasita e o hospedeiro. Caso existam fatores ambientais favoráveis para o parasita, o animal seja jovem demais, debilitado, mal-nutrido... ponto para o parasita.

Caso o jogo esteja melhor para o animal, maiores serão as chances deste engordar, criar... Os pontos de desequilíbrio devem ficar claros para os criadores. Só que não adianta mais pensar que os compostos antiparasitários podem superar tais desafios.

Entendido? Um grande abraço.

Marcelo Molento
Dr. Marcelo Beltrão Molento é médico veterinário, PhD em Parasitologia pela Universidade McGill, Canadá e professor da Universidade Federal do Paraná. Também é colaborador do site FarmPoint

Especialista em resistência parasitária e trouxe para o Brasil o método FAMACHA de avaliação individual/tratamento seletivo. Criador do SICOPA, Sistema Integrado de Controle Parasitário, tendo seus trabalhos publicados na Inglaterra e EUA.
Você ainda pode se inscrever. Clique aqui!

Entre em contato com o autor deste artigo através do formulário abaixo!

deve ter o formato de 10 a 11 dígitos (ddd + telefone ou 0800, 0300, etc.)
Por favor digite o código de verificação contido na caixa ao lado:

3000 caracteres restantes

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade