Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Argentina: produtores protestam a falta de incentivos

postado em 05/08/2010

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Criadores de ovinos da Argentina tosquiaram um carneiro da raça Corriedale em público no pavilhão do La Rural da 124º Exposición de Ganadería, Agricultura e Industria, realizada em Buenos Aires. Essa atitude foi um protesto, pois os produtores consideram a ovinocultura marginalizada por outros tipos de produções agropecuárias no país.



O diretor da Sociedade Rural Argentina (SRA), Carlos Vila Moret, destacou a importância de gerar medidas de incentivo para o setor ovino. Segundo ele, é muito importante preservar a mão-de-obra que gera esse setor, porque é praticamente a única produção agropecuária realizada na Patagônia. Além disso, por trás dessa produção, ocorrem outros processos na indústria já que o ciclo da lã não termina com a tosquia.

Após a tosquia, a lã passa pela lavagem, passando a render 60% do peso com que entrou. Porém, o resultado da lavagem não é somente uma lã limpa, mas durante esse processo, também é separada a lanolina, um subproduto que é utilizado na indústria cosmética. Depois disso a lã é cardada (quando as fibras são transformadas em mechas circulares). Assim se formam os fardos de lã. Na fiação, com esses fardos, são feitos os fios para confeccionar os novelos de lã através de um processo de estiramento.

"Em um rebanho comercial, reserva-se somente 10% dos cordeiros para continuar com a tarefa reprodutiva e de produção de lã", disse Moret. Os outros cordeiros são vendidos a frigoríficos aos três meses de nascimento, quando pesam entre 28 e 30 quilos, aproximadamente.

Hoje, o preço da carne de cordeiro está valorizado. Pode-se conseguir 15 pesos (US$ 3,80) o quilo/carcaça. "Todavia, não se chega a recuperar os preços de dez anos atrás", disse o representante da Estancia María Behety, Roberto Fernández Speroni. "Vamos começar a valer pela falta de produção".

Em 04/08/10 - 1 Peso Argentino = US$ 0,25372
3,93449 Peso Argentino = US$ 1 (Fonte: Oanda.com)

A reportagem é do Infocampo, traduzida e adaptada pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade