Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Avanço agrícola deve depender de bom desflorestamento

postado em 25/01/2011

2 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O Brasil experimentará forte avanço na produção agrícola nos próximos anos e precisará dispor de mais terra para o cultivo, destacou estudo divulgado ontem (24) pelo governo do Reino Unido. Mas, em vez de condenar o avanço da fronteira agrícola, os pesquisadores acreditam que o País poderá realizar o chamado "desmatamento bom".

As conclusões fazem parte de um amplo estudo sobre agricultura conduzido por 400 especialistas em mais de 35 países, incluindo o Brasil. O governo britânico quis traçar as perspectivas para a produção de alimentos e os impactos sobre o mundo nos próximos 40 anos. Conforme o estudo, nos próximos 20 anos a produção das principais culturas nacionais avançará para atender o consumo, estimulada também pelo preços das commodities.

A produção de cana-de-açúcar passará de 711,5 milhões de toneladas em 2010 para 1 bilhão de toneladas em 2030. A safra de soja deve sair de 67,7 milhões de toneladas para 100,8 milhões de toneladas, do milho de 55,5 milhões de toneladas para 76,7 milhões de t, do trigo de 6,0 milhões de t para 7,1 milhões de t, do algodão de 3,8 milhões de t para 4,9 milhões de t, e do café de 2,7 milhões de t para 4,2 milhões de t. A produção de carne deve avançar de 9,2 milhões de t para 13,9 milhões de t no período.

Para abarcar toda essa produção, principalmente de cana e soja, o Brasil precisará de uma área de 50 milhões de hectares destinada à agricultura, ou seja, um aumento de 13,5 milhões de hectares em relação ao registrado em 2006. O estudo assume que a terra adicional virá principalmente da utilização de áreas hoje reservadas para o pasto. Mas os pesquisadores admitem a possibilidade de que o plantio avance pela floresta. "A possibilidade de que a área adicional necessária para produzir o nível estimado possa também vir do desflorestamento não precisa afetar negativamente o bem-estar da sociedade", diz o estudo.

Segundo os especialistas, uma "política apropriada" pode assegurar que somente o "bom" desflorestamento ocorra. É preciso analisar o uso da terra e não "simplesmente preservar qualquer pedaço do ecossistema da floresta sem considerar seu nível de uso ou tamanho".

O estudo mostra que a produção global de alimentos passará por pressões profundas nos próximos 40 anos. A população mundial deve sair dos atuais 6 bilhões e atingir 9 bilhões até 2050. A competição por terra, água e energia deve se intensificar, juntamente com os efeitos do aquecimento global.

O custo da comida deve subir nos próximos anos, o que aumenta a possibilidade de conflitos. "Nada mais do que um redesenho de todo o sistema é necessário para trazer sustentabilidade", diz o estudo.

A reportagem é de Daniela Milanese, para o jornal O Estado de S.Paulo, resumida e adaptada pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Adimar Leonel Souto

São Francisco de Sales - Minas Gerais - Produção de gado de corte
postado em 27/01/2011

Entendo que esta questão do uso da terra condicionado a preservação do meio ambiente merece avaliações bem mais profundas. Não pode se limitar a pessoas com conhecimentos tecnicos entre quatro paredes determinando o que se deve fazer na pratica. Entendo que os conhecimentos tecnicos são indispensáveis, porém, precisam serem confrontados e debatidos com os conhecimentos práticos. O assunto no meu entendimento merece acompanhamento in loco em todas as regiões do Brasil avaliando as particularidades de cada região para que se possa produzir um projeto que contempla ações eficazes e coerentes, o que naturalmente contribuira para o verdadeiro crescimento sustentável em todos os níveis. Estamos cansados de vermos hoje leis impostas sem o menor cabimento, trazendo serios transtornos para uns e enormes brechas que vem a favorecer outros dependendo do poder aquisitivo, relacionamentos ou influncias.^
Precisamos pensar melhor o nosso BRASIL... " Enquanto ainda podemos dizermos que é nosso "...

Ailton César Barbosa

Indiapoã - São Paulo - Produção de leite
postado em 07/02/2011

"É preciso analisar o uso da terra e não simplesmente preservar qualquer pedaço do ecossistema da floresta sem considerar seu nível de uso ou tamanho". Que frase lindíssima. Quem é o autor da amabilíssima? Deveria ganhar vários prêmios por ela. Porém, por quê esse indivíduo não procura fazer os seguintes questionamentos: será que as terras desflorestadas ao longo de meio século do Brasil, chegaram ao limite de produtividade? Se aumentarmos a produtividade dos grãos, do leite, da carne e do capim por unidade área já desflorestada, mesmo que seja uma saca, um quilo de leite, um quilo de carne e um quilo de matéria seca, ainda seria insuficiente para alimentar a nossa população e gerar excedentes exportáveis? Enquanto existir pessoas que pensam dessa forma; desmatam e depois deixam a terra a "Deus dará" - abandonada e produzindo migalhas - as florestas continuarão sendo as eternas culpadas pela fome no mundo. Se são elas as culpadas, então Por Quê mantê-las em pé? Dali desflorestamento...

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2022 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade